Arquivo de Tag | esquerdismo

Corrigindo algumas de minhas frases mais comuns: ” o esquerdismo não está totalmente errado”

” o esquerdismo não está totalmente errado porque defende os direitos das mulheres, dos homossexuais, das minorias étnicas e raciais, da essência em relação à aparência, dos mais humildes….”

Mas será que defende mesmo**

Vamos ser sinceros aqui…

O esquerdismo não é filosofia mas política, não foi criado para aumentar a luminosidade da razão, mas para escurecê-la. O termo ”esquerdismo” não tem nada de bom assim como nada daquilo que contenha ”ismos” e que obedeça à regras dualistas de pseudo-complementaridade entre todos os seus axiomas artificiais visando outras finalidades. Em um mundo honesto os fins nunca justificam os meios. A continuidade de ações (positivas, por favor) deve obedecer à regras coerentes que perdurarão durante todo o processo construtivo. É um jogo aberto, limpo e não sujo.

O esquerdismo não foi criado para acabar com a pobreza ou com injustiças (reais) de tratamento de todas as estirpes tal como o ”racismo” ou a ”homofobia”.

A palavra racismo para combater o ódio racial

ou

para calar a dissidência contra o genocídio sofisticado de povos de raça branca.

A palavra homofobia para combater o preconceito contra as minorias sexuais

ou

também para desestruturar a família ”tradicional” e novamente promover a internalização de uma neo-palavra que isenta certos ”grupos” de qualquer tipo de crítica enquanto que os mesmos são jogados ao deus dará, alimentando as suas fraquezas e se expondo a toda a sorte de doenças sexualmente transmissíveis. Quem ama, cuida.

Multiculturalismo, novamente para acabar com preconceitos culturais (neste sentido eu devo ser o mais preconceituoso de todos visto que detesto todas as culturas humanas) e para acabar com o ”racismo”

ou

para promover a miscigenação racial, imigração em massa (especialmente para os países de maioria branca) e ideologia globalista ou internacionalista (a anti-matéria da ”tradição”)    …. enquanto que tem um ”país” que clama do alto de um Everest de hipocrisia a sua ”singularidade etno-cultural” como justificativa para não acolher meio (terceiro) mundo em seu território de não mais que 20 mil quilômetros quadrados.

Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço. Mais velho que Matusalém.

Secularismo e ateísmo para a popularização do pensamento científico que via de regra precisa(ria) rejeitar qualquer forma de pensamento mágico para se focar na observação literalizada da fenomenologia do ser e do existir (matéria inanimada ou organismo e todas as suas respectivas possibilidades de entendimento e manipulação)

ou

para substituir a ”religião” cristã e relativizar a moralidade, tal como o diabo gosta. 😉

Tudo lindo, tirando o feio!!

Os mais vigorosos defensores de todos estas diretrizes ideacionais e ativas parecem fazer o exato oposto

”Façam aquilo que nós lhes dissemos, mas não façam aquilo que fazemos” (número 2)

Aí alguém mais esperto irá lhe mostrar os dados de miscigenação extra-grupo, homossexualidade, adoções interraciais e taxas de fecundidade desta ”população” de onde desovam a maioria dos ”ativistas sociais” mais influentes.

Uma contra-argumentação muito esperta porém desonesta, visto que ao se enfatizar apenas a parte secular desta oligarquia coletivista milenar (oops) e cruzando os dedos para que o oponente seja mais um ”mediano” com preguiça intelectual e analítica, se estará desviando do núcleo demográfico dos mesmos que permanece muito fértil e primitivamente tradicional. A mentalidade prática de um ser cerebral: o que mais importa é a sobrevivência do grupo. Portanto não importa muito se os seculares que são mais inteligentes não estão tendo filhos ou debandando em massa para a mistura racial, o que importa é que o núcleo de onde todos eles vieram continue fértil e coeso.

O esquerdismo é uma arma psicológica que foi criada com o intuito de provocar a rendição das populações de raça branca ao redor do mundo, sem que fosse necessário o uso da força, ainda que medidas sutilmente vigorosas já tivessem sido tomadas como a supressão da pluralidade objetiva e contextualmente crítica de ideias, pensamentos, propostas e ações (isto é, que se consiste exatamente na crítica ao contexto atual, coisa que a maioria dos ”brancos nacionalistas” estão a fazer, ainda que sem substância e numa letargia de dar pena). É uma mistura de ”convencimento”, força por meios jurídicos, mídia ”e” alimentação de ideias estúpidas.

Portanto, ao nos debruçarmos em cima da maioria dos pressupostos que são levantados pelos esquerdolas sobre comportamento, raças humanas ou moralidade, nós estaremos apenas caindo em seus truques baratos porém espertos de nos fazer perder tempo discutindo sobre as suas ideias torpes, confusas e equivocadas (em sua maioria) enquanto que o mundo lá fora está a se/ser  esfacelar/esfacelado.

Eu sou contra pseudo-religiões, sou contra culturas que nada mais são do que irmãs bivitelinas, comportamentalmente parecidas das ”religiões”, sou contra tratamentos realmente injustos porque sempre primo pela precisão harmônica (sabedoria como técnica de interação interpessoal), sou a favor de um certo nível de pluralidade humana isto é, de alguma diversidade de tipos humanos.

Mas sou totalmente contra este tipo sinistro de desonestidade E que ao invés de reduzir ao máximo possível os conflitos evitáveis humanos e suas reverberações extra-espécie, apenas os aumenta de maneira vertiginosa.

O esquerdismo é um grande blefe que se pinta como o epítome da moralidade humana mas foi criado para que outras zelites pudessem se apoderar do poder de maneira total, destronando as já existentes ou se aliando a elas, se boa parte daqueles que detém o poder não são os seres mais virtuosos que a humanidade já produziu.

Não é a sabedoria racionalizada visando obviamente a harmonia mas um meio de se conquistar e manter o poder.

Seria de bom tom e inteligente que deixássemos de levar tão a sério os ”argumentos” dos esquerdolas em relação à maioria dos assuntos que se intrometem e manipulam. Talvez, mais como um estudo antropológico de suas intenções e maneiras de racionalizar do que como um embate real sobre fatos palatáveis.

O esquerdismo se apropriou da moralidade universal ou de seus desdobramentos analíticos, não é a sua base filosófica visto que a utiliza para outras finalidades.

Fica a dica filhote! 😉

Corram que os nossos californianos vem aí!!!

corram para as colinas…

Califórnia e Rio de Janeiro são duas localidades político-geográficas distantes, porém muito parecidas entre si. Ambas são iluminadas por um sol escaldante, tem praias exuberantes e um povo idem. Nos EUA, os californianos tem a fama de serem os mais socialmente liberais e hippies do país. No Brasil, algo relativamente parecido acontece com os fluminenses, mas especialmente com os moradores da ”cidade maravilhosa”. A Califórnia foi o sonho de consumo da classe média branca a partir dos anos 50, 60 e 70. O ‘golden state’ foi uma espécie de paraíso descoberto durante os anos em que jovens americanos cantavam a liberdade. O tempo passou e agora, o estado americamo que conta com um grande número de cidades fundadas por mexicanos, também está se tornando por meio de sua demografia, em parte do país a que pertenceu séculos atrás. Isso poderia ser bom, mas não é. O México, desprezando a enorme simpatia que tendemos a ter por seu produto cultural de maior alcance, isto é, a  intrépida turma de Carlos Bolaños, é tão disfuncional quanto o Brasil. Tem índices de criminalidade nas alturas, um crime organizado cada vez mais atuante e contundente, enormes desigualdades sociais, que estão temperadas com especiarias atemporais que entoam desde as primeiras interações entre o ”homem branco” e os nativos pós-‘civilizados” e que tem produzido a sua essencia transcendental desde então. E todas essas tendencias se baseiam em uma mescla de incompetencia administrativa hereditária (um dos maiores males do terceiro mundo) mais um plus de ”mas a população local também não ajuda nem um pouco para melhorar a situação”, leia-se, predisposições genéticas ou probabilidades de não dar certo, tão certo quanto deu com os anglos antecessores.
Californianos, isto é, uma parte considerável deles, tem celebrado a sua própria deslocação demográfica, com o mesmo misto de ingenuidade e estupidez que caracterizam a capacidade analítica e holística de boa parte dos esquerdistas, daqueles que estão mais para a esquerda, no espectro político.
Aqueles que gritam palavras de ordem em prol de igualdade, agora vivem no estado mais desigual da federação estadounidense e as razões são mais do que óbvias, o enorme volume de imigrantes latinos que tem se mudado pra lá. A Califórnia, que já foi 90% branca caucasiana, agora é apenas 30% e seus índices continuam a diminuir, por que**
Porque os californianos de classe média, brancos e socialmente liberais (isto é, a maioria deles), estão debandando do até então ”golden state” porque o que antes era um sonho, agora está se transformando em um pesadelo. Eles não conseguem entender bem o porque, culpam a violencia e…. o ”homem branco”, mas muitos quando se fixam em suas novas localidades (Texas, Oklahoma, etc), apenas reproduzem o ”californian way of life, think and act”. Ou seja, querem transformar suas novas localidades em uma L.A, multicultural, politicamente correta, diversa e futuramente problemática (desprezando o fato de já ser problemática a curto prazo).
A vida poderia ser uma festa, liberdade é bom e todo mundo gosta, no entanto, para que se possa festejar, é necessário que se tenha a habilidade de se produzir a festa, fazer o bolo, os docinhos, os salgadinhos (apenas de queijo, 😉 ), o ambiente, contratar os músicos que irão tocar na festa. Em outras palavras, é necessário organização, e algumas pessoas serão, quer queiram quer não, mais naturalmente organizadas do que outras. Liberdade sem responsabilidade é como um fogo breve de um fósforo na espreita de ser tomado por ventos a sudoeste. é de curta duração e ao se ver livre, também da responsabilidade, se verá novamente preso a novas formas de limitação da mesma, ocasionada justamente pelos excessos anteriores.
Então, podemos comparar os esquerdistas (em média) exatamente como aqueles que confundem liberdade com anarquia e a partir daí dinamitam seu próprio modo de vida, de maneira coletiva ou individual.
A Califórnia foi uma festa, mas aqueles que sabem organizá-la, agora querem cantar em outras freguesias. Não é que a massa de novos americanos de sobrenome espanhol e rostos mais morenos, sejam de completos inúteis, tal como pareço estar querendo dizer. Não mesmo. Assim como o (tipo de) brasileiro que está economicamente pobre mas é honesto, uma boa parte deles que eu não sei estimar quanto que seria, se consistem de trabalhadores duros que acreditam e tentam seguir os preceitos de sua fé católica. Não são como ervas daninhas, mas como pessoas que tentam a vida no país mais rico de cima. O pior é que como a maioria deles não são suficientemente qualificados (leia-se, contextualmente cognitivamente inteligentes), acabam engrossando as desigualdades da região onde se mudam, ainda mais.
Muitos mexicanos que agora foram transformados em cidadãos americanos, são excelentes pessoas, eu não duvido disso, mas quando não há seleção, maçãs boas e ruins rumarão pelo mesmo caminho e quando voce tem uma maior porcentagem de disfuncionais do lado sul do rio Grande, então não restam dúvidas de que muitos associarão os mexicanos a problemas e não estarão errados quanto a isso. O justo paga pelos erros dos estúpidos do seu grupo e na maioria das vezes, ao invés destes, se dissociarem das maçãs podres, acabam por defende-las, pensando equivocadamente no ”grupo a que pertencem”.  A enorme quantidade de mexicanos vivendo nos EUA, sem contar os outros latino-americanos, assim como também a promessa de uma corrente imigratória incessante de longo prazo de pessoas deste país em direção a ”América”, anunciam um futuro em que, ou haverá um amalgamento cultural e racial entre os dois, ou a multiplicação de conflitos das mais diversas naturezas, semelhante aqueles que se desdobraram em cima das ruínas romanas, a partir da capitulação deste império.
Vamos pensar aqui… Os mesmos problemas que se sucederam 2000 anos atrás, vão se repetir***
Isso é evolução em que planeta***
A Califórnia pode estar perdida e isto terá se dado também por culpa principalmente dos próprios californianos que acreditam nas teorias sem fundamento consistente quanto a uma suposta igualdade de capacidades, temperamentos e culturas neurológicas entre todas as populações humanas. Claro, é a cultura estúpido!! Faça uma legítima lavagem cerebral entre os imigrantes mexicanos e voce terá de volta a juventude dourada que dourava a sua pele anglo-saxã no sol do pacífico.
A analogia com o estado e principalmente com a cidade do Rio de Janeiro, no Brasil, é interessante e válida porque situação demograficamente semelhante tem acontecido por lá, em comparação com a Califórnia. O Rio, foi de fato uma cidade e um estado maravilhosos, tempos atrás, quando ainda não havia inchaço das favelas e a maioria da população era de descendente de europeus, principalmente de portugueses. O tempo passou, e mudanças demográficas alteraram o panorama romantico e elegante da antiga capital federal. Mas será que os californianos tupiniquins saberiam nos dizer o porque destas transformações negativas**
Não, uma boa parte dos cariocas de classe média, que pertencem ao perfil etno-cultural que predominou na cidade, assim como também no estado, durante a segunda metade do século XX, são tão ou mais iludidos com as promessas e as certezas vãs da nova esquerda cultural, quanto os seus homonimos do sudoeste americano. E quando migram, sim, porque muitos cariocas estão buscando refúgio em outros lugares, menos violentos que a ”cidade maravilhosa” ou mesmo, que muitas outras cidades fluminenses, apenas transplantam seus modos de vida e ideologias junto com eles, isto é, na tentativa completamente sem cabimento de ”melhorar o contexto local” justamente com a introdução da mesma fórmula tóxica que tornou os seus ambientes de outrora, piores, do que eram.
Com aquele sotaque que a grande maioria dos outros brasileiros não gostam, o jeito faceiro e malemonte, cariocas e fluminenses de todas as cores, credos e times de futebol, se mudam para cidades mais para o interior ou para outras capitais, emulando o desbravamento lusitano do período colonial, e tal como estes pioneiros de carnificina e conquista, não compreendem a linguagem local, deduzindo pedantemente que seus modos progressistas de pensar, sejam totalmente superiores aos dos locais. Há uma complexidade de observações necessárias a serem feitas neste contexto, porque muitas ”ideias progressistas”, não estarão erradas, pelo contrário, o problema é que elas exigem neuronios a mais para que possam ser corretamente desenvolvidas. Aí que começam os problemas, porque a maioria dos seres humanos não tem capacidade, vontade e necessidade de entenderem essas ideias, e não me refiro apenas aos medianos e aos ‘menos inteligentes”, mas especialmente a classe ”educada”, que além de não conseguirem desbravar tal como pioneiros o mundo abstrato ao qual se prendem, ainda se tornarão tão fanáticas por ele tal como um ”religioso” faz por suas crenças dogmáticas mais antigas.
O jeito paish e amorrr, manso de levar a vida, foi um dos responsáveis pelo crescente acúmulo de problemas numa das metrópoles mais infernais do hemisferio sul. Ignorancia, preguiça intelectual, extroversão e excesso de confiança, são um coquetel molotov certo se deseja derrubar qualquer parametro de funcionalidade em uma determinada sociedade em curto espaço de tempo. Selecione pessoas com este perfil ou as faça se multiplicar como coelhos e terá em algumas décadas um antro anti-intelectual e progressivo, não em melhorias ”para um mundo melhor”, mas por um mundo pior do que era. Uma ”república de Lagado” infernal em que teorias sem pé nem cabeça, devaneios sobre o sexo dos anjos em torres de marfim ”intelectuais” enquanto que temos o caos reinando absoluto lá fora.
Como conclusão. Não fuja apenas de pregadores evangélicos ou testemunhas de Jeová que pensam que voce acorda as seis da manhã todos os sábados, ou da ”moça do telemarketing” querendo vender a própria avo com desconto. Fuja também de nossos amados californianos tupiniquins, os cariocas ”pra lá” de ”progressistas”, que querem fazer todo mundo se sentir como se estivéssemos tomando água de coco em Ipanema, interagindo com ‘comunitários” (com todas as suas exceções virtuosas exaltadas) e olhando pro céu pra ver se não vai chover… bala perdida.. iiii, perdeu a carteira.

Entendendo o esquerdismo

Entendendo (ou, tentando entender) o esquerdismo:

Esquerdistas ou ( socialmente)  liberais são mais propensos a serem
ansiosos,

depressivos ( homens  fortemente conservadores também reportaram maior incidência de depressão mas bem menos que entre os fortemente esquerdistas ),

a sofrerem de fadiga crônica

a terem transtorno bipolar e transtorno sazonal de humor,

a terem sono mais instável e a terem maior frequência de sonhos com temática homossexual.

Por que os esquerdistas insistem sobre a supostamente ”enorme” influência de ”fatores ambientais” para explicar o comportamento humano ao invés da genética??

Boa parte dos argumentos feitos pelas pessoas, mesmo as de maior inteligência, em conversas e debates televisivos ou no cotidiano, são baseados em auto-projeção. Quando defendemos qualquer ideia, é muito provável de estarmos defendendo a nós mesmos. Não é um debate de ideias neutras retidas de uma apanhado de hipóteses racionais, mas sim de teor ideológico, e isto quer indicar, dualista ou extremista, tribalista e pessoal. Os socialmente conservadores não escolheram a sua ”ideologia de vida”, eles SÃO conservadores, em algum grau importante e difícil de ser mudado ou que  se relaciona umbilicalmente com a sua essência existencial ( reprodução e/ou sobrevivência) . As pessoas que sao mais emocionalmente instáveis podem de fato serem mais influenciadas pelas intempéries ambientais do que em relação aquelas que são mais emocionalmente controladas. Portanto, pode-se dizer que especialmente para os socialmente liberais ou esquerdistas, os ”fatores ambientais” ou ”não-genéticos” podem ter um maior impacto em suas respostas reativas de curto e longo prazo  do que por  exemplo, em relação aos conservadores ou a pessoas mais emocionalmente maduras. Quando nega qualquer participação genética no comportamento humano, o esquerdista médio está apenas fazendo auto projeção, que não seria muito diferente do que dizer ”Eu sou mais influenciado pelo que acontece de curto a longo prazo comigo… e isso deve acontecer com todo mundo”.
Claro que a conhecida ignorância esquerdista em relação a lógica ou coerência mental e ciência, especialmente  a biológica, também interfere no produto final ou  suas argumentações coletivamente uníssonas e holisticamente equivocadas.
No entanto, algo mais profundo do que apenas ”estupidez”, deve ter maior importância  na deflagração das crenças esquerdistas sobre behaviourismo. Da mesma maneira que a explicação para o comportamento habitual de conservadores médios, fervorosamente religiosos, perpassa as crenças filosóficas no livre arbítrio (autisticamente literalizado), que chamamos de predisposição genética, o mesmo acontecerá com qualquer grupo ou mesmo a nível de  indivíduo. Eu não duvidaria que as pessoas que são mais emocionalmente instáveis fossem também mais propensas a acreditar que seu comportamento fosse fundamentalmente modulado pelo ambiente e não a partir da atuação em conjunto  das intempéries ambientais e  de fatores genéticos ou nós mesmos, tal como que é compreendido por boa parte dos cientistas da área. O esquerdismo também parece se relacionar de maneira distinta com o narcisismo em comparação ao conservadorismo. Narcisistas em média são mais propensos a fazer considerações retidas de suas próprias opiniões. Não é errado fazer isso, eu mesmo uso a todo momento esta técnica aqui no blogue, o problema se dá  quando fazemos generalizações ilógicas ou inferências equivocadas, o famoso exemplo

‘eu não concordo que os negros sejam menos inteligentes, porque eu mesmo conheço muitos que são muito mais inteligentes que muito branco”.

Os esquerdistas também podem ser mais propensos a sofrerem de transtorno pós traumático. A hiper sensibilidade emocional que no passado era denominada como histeria, pode ter um papel para as constantes atitudes de extrema intolerância por parte deles quando se deparam com opiniões que destoem das suas. A incoerência mental é uma característica marcante entre muitos esquerdistas. A partir daí abrem-se brechas para muitas especulações.

A hipótese ”inteligente mas nem tanto”, se daria pela possibilidade de que o esquerdista médio seja a representação média das pessoas de inteligência (técnica ou cognição) razoavelmente-alta, de nível de estudante a professor universitário, principalmente das humanidades. Que não é uma assumidade cognitiva mas também não é um ‘‘average Joey”. Quando comparamos esquerdistas e conservadores clássicos, vemos diferenças pronunciadas entre suas capacidades médias, apenas pelo que  suas ideologias dizem. Por exemplo, o esquerdista médio tende a ser ateu e a duvidar da narrativa bíblica ou de qualquer outra religião, ainda que ensaie alguma tolerância superficial para a pluralidade religiosa ( menos o cristianismo porque seus Mestres lhe ordenaram que fosse assim ).  Em compensação, o conservador médio, em média ( e bota média nisso),  tende a acreditar literalmente nestas estorinhas de início de civilização. O pensamento mágico é uma característica importante em sociedades pré-civilizadas e uma boa parte dos conservadores por acreditarem nestes papos de igreja, são mais prováveis de serem mentalmente ”primitivos”.

O esquerdista médio e as cepas mais evoluídas de conservadores se assemelham mais entre si no sentido de que são menos propensos a terem crenças baseadas em pensamento mágico ou que não pode ser comprovado. Neste aspecto, o esquerdista será em média, superior ao conservador médio ou clássico. Mas uma boa parte das crenças que os esquerdistas dizem seguir não estão enraizadas nem na lógica intuitiva nem em lógica empírica. Por exemplo, a maioria dos ateus, que dizem acreditar e entender a teoria da seleção natural de Charles Darwin, também tendem a se definirem vagamente  como ”anti racistas”. O ateu médio adora postar em redes sociais que ”somos todos iguais” ou que ”os cérebros das raças são os mesmos”. O ateu médio que tem boas chances de ser mais voltado pra esquerda no espectro ideológico / político, é mais esperto ao renegar que as metáforas milenares da bíblia sejam factuais mas entra em coma racional ao entrar no coro dos behaviouristas comportamentais ao negar qualquer participação genética no comportamento humano.

Darwin é melhor que Jesus, mas Lamarck ganhou de Darwin???  quando o conservador médio, o religioso literal, se depara com o básico da ciência, sua cabeça tende a entrar em pane. Já o esquerdista, ainda terá alguma tolerância com a ciência, mas sabemos que é  muito baixa e não é suficiente para torná-lo incrivelmente inteligente ou ao menos predominantemente racional.

A hipótese ”estúpidos no poder” e ”senso comum” 

Se baseia no fato de que existe um trabalho por de trás do palco em que se almeja colocar esquerdistas em posições de poder. Se sabemos que eles costumam ser péssimos governantes, então uma explicação plausível para fazerem isso é a de que estes agentes secretos ( ou nem tanto)  desejam  sabotar nações, especialmente as ocidentais, com outras finalidades em vista. Os esquerdistas aparecem perfeitos para a função porque seus líderes costumam ser de psicopatas ( dos conservadores também ) enquanto que os seus seguidores  costumam ser de pessoas muito ingênuas ( e estúpidas, ingenuidade extrema é uma forma de estupidez) . Isso sem falar no braço eleitoral demograficamente relevante, que é composto por dependentes ‘pobres’. É por isso que dizem que o esquerdismo se consiste em um regime facistóide com um sorriso no rosto. Nas sociedades hierárquicas e primitivas dos seres humanos, aqueles que detém o poder, são os que ditam as regras de convívio e as crenças que vão predominar. Sim, racionalidade, empatia, inteligência, criatividade, sabedoria, são palavras ideais para mundos ideais, na realidade humana, ganha quem é mais forte.

O famoso ”consenso popular”.

Portanto, se os esquerdistas dizem que os homossexuais são extremamente superiores aos heterosexuais, então com base em chantagem e repetição constante nos meios de comunicação, este exagero se tornará a mais pura verdade. E o esquerdista médio se tornará convencido de que as suas ideias estão corretas se celebridades e pseudo-cientistas carreiristas lhes disserem que o que acredita esta correto.

A hipótese  ” Born that’way”

Acreditamos ou somos forçados a acreditar que inteligência seja sinônimo  de racionalidade. Mas a inteligência é um termo muito vago e racionalidade, segundo muita gente, se baseia no ”senso comum” e não naquilo que é, na verdadeira causalidade conceitual e literal!! Portanto, ser cognitivamente inteligente, não será um salvo conduto para ser tambem mais racional, e o fenomeno do esquerdismo nas frações inteligentes nos mostram que esta realidade está parcialmente correta.  O pensamento lógico racional é oriundo de duas variáveis essenciais da vida, sobrevivência e reprodução. Estamos a todo momento pensando numa maneira de mitigar potenciais riscos de morte.

Outra teoria, complementar as outras é claro, é a de que o aumento da complexidade mental tenda a resultar em perfis cognitivos ”aberrantes”, tal como eu sugeri no texto ”pai yuppie, filho hippie”. E que o esquerdismo possa ser tal como um perfil intelectual intermediário (novamente, pegando a ideia de que algumas características sejam intermediárias). Interessante que quando eu tinha 18 anos de idade, fui solapado por ideias claramente esquerdistas. Por exemplo, eu me lembro que quando comecei a estudar demografia mais a fundo, fiquei muito feliz com o multiculturalismo na Itália (mais especificamente) e me encontrava ansioso por mudanças demográficas, isto é, que a população italiana se tornasse mais e mais ”diversa” e ”menos branca”. Sim, eu tinha 18,19 anos, um ano depois de ter entrado na faculdade. Será que em termos de idade mental, o esquerdista médio poderia ter parado na casa dos 18 anos**** Faz até um certo sentido visto que apesar dos claros déficits cognitivos holísticos (ou morais), eles tendem a ser mais preocupados com situações que denota maior amadurecimento. O caráter intermediário do esquerdista médio nos mostraria que ele se encontraria entre um conservador clássico ou médio, que tem poucas certezas sobre a sociedade (capitalista) em que vive e entre intelectuais de grande capacidade. Meio filósofos que acabam morrendo no meio de uma lagoa, chamado esquerdismo. Será**

Um estudo recente onde que foram produzidos ratos de laboratório mais inteligentes, descobriu-se que além da  maior capacidade (óbvia) de aprendizado ( e adestramento??), estes ratos geneticamente modificados também se tornaram  menos alertas a perigos iminentes de vida, como por exemplo em relação à presença de gatos, seu predador habitual, no mesmo ambiente em que se encontram. Menores níveis de ansiedade podem ser bons para o aumento da capacidade cognitiva ( aprendizado ou adestramento**) , mas também podem resultar na redução da capacidade de vigília, de sobrevivência.

Alguma semelhança com os esquerdistas???

Sabe-se que o parasita toxoplasma quando infecta o cérebro de ratos, provoca a indução do comportamento suicida, que faz com que o rato afetado sinta uma mórbida atração pelo gato, seu maior e mais conhecido predador.

E imaginem que o mesmo parasita parece estar relacionado com o comportamento suicida entre os seres humanos. (e eu fico imaginando, cá com meus botões, se eu não tenho esta galerinha em minha cachola). Claro que todo ser humano tem microorganismos em seu corpo, e como eu já falei algumas vezes aqui, existe uma diversidade de tipos e funções. Sem falar que nossos genes, de acordo com a minha hipótese, seriam relíquias coevolutivas dos primeiros microorganismos, das primeiras formas de vida, e nós seríamos como os seus bolores.

Alguma semelhança com os esquerdistas e sua conduta com criminosos violentos** (ou predadores humanos).

O esquerdismo ideológico pende neurologicamente para a dominância ”anomala” do lado direito do cérebro, que explicaria a ocorrência mais elevada de disturbios de humor entre eles como ansiedade e depressão.

Hipótese, esquerdismo como déficit na capacidade de reconhecimento holístico de padrões (aquilo que realmente importa, reprodução-sobrevivencia) .

Uma recente pesquisa encontrou que enquanto que os conservadores tendem a ser de pensadores holísticos, os esquerdistas tendem a ser de pensadores analíticos. Um pouco complicado resumir uma possível complexidade correlativa apenas desta maneira, mas parece fazer sentido, conceitualmente falando, que os conservadores sejam mais atentos com a imagem maior, ainda que de maneira pleistocenica, enquanto que os esquerdistas sejam mais propensos no pensamento analítico ou que busca detalhes dentro desta imagem maior.

Influencias ambientais seriam encapsuladas por interações genéticas entre os seres envolvidos e em relação ao meio em que vivem**

O fator genético no comportamento humano parece, conceitualmente falando, mais relacionado com uma suposição de natureza holística enquanto que o fator ambiental ou circunstancial se assemelha com uma suposição de natureza analítica.

Parece evidente que o esquerdista médio tenha uma tendencia para ter déficits na capacidade de pensamentos de natureza holística, de capturar a imagem maior. Sua ingenuidade, em partes, pode ser explicada justamente por este déficit.

Animais domesticados são socializáveis e treináveis. Conservadores também seriam mais como animais domesticados, mas de uma cepa mais antiga.

Hipótese” todas as alternativas anteriores, tudo junto e mischturado”

O mais provável de ser,

o esquerdismo é uma predisposição comportamental inata, lembrem-se da minha metáfora da piscina para explicar a hereditariedade e expressão de comportamentos , que tende a ”acometer” uma importante parcela das pessoas que ”pertencem” ou podem ser alocadas dentro da ”elite cognitiva”, que em jargão unilateral psicométrico, quer dizer, que ou aquele que pontua acima de 120 em testes de qi e que também tende a ser mais comum em pessoas com nível (de estudante) universitário de capacidade (técnica ou) cognitiva. Existe um complo(t) conspiracionista que tem como uma de suas estratégias, usar pessoas (relativamente) inteligentes e muito ingenuas como pelotão de apaziguamento reativo, isto é, aqueles jovens mais artísticos que gostam de chamá-lo de ”racista, homofóbico, misógino” (e em parte eles tem razão, a verdade está em todo lugar) assim como também o grupo de carreiristas oportunistas (em jargão psiquiátrico, psicopatas de alto funcionamento), mentirosos profissionais, que se utilizam de toda a sorte de chantagem emocional, pseudo-científica e ou semantica para manter o trem suicida chamado ”Ocidente” no caminho em que está trilhando.

”Racismo”, ”homofobia” (apesar de aspeá-los, isso não quer indicar que esteja desmerecendo as suas existencias negativas dentro das interações humanas), ”misoginia”, são usados como armas verbal-semanticas e emocionais para calar a dissidencia mas também como distrações, além de toda a sorte de indústria recreativa, inclusive e talvez especialmente a cultural, para  as massas  de todas as cepas cognitivas em relação ”aquilo que realmente importa”, ainda que, o bom e civilizado tratamento a todos os tipos neutros e virtuosos (especialmente) de seres humanos também seja algo que importe e muito. No entanto, estas expressões vagas de ordem não tem como intuito ”fazer o bem”, mas fazer o mal disfarçado de bem, ” os fins justificam os meios”, dizem. Os esquerdistas, como eu vou falar em outro texto, parecem ser mais geneticamente mutantes que os conservadores, em alguns aspectos, por exemplo, na grande proporção de homossexuais dentre outros tipos de sexualmente fluidos, de maior incidencia de distúrbios de humor etc…

Ingenuos, menos tribalistas (porque tendem a serem menos parecidos com os seus pais e parentes***), menos sexualmente dimórficos, mais criativos, mais intelectualmente orientados, sendo selecionados para ocupar posições de poder…. e também com déficits em pensamento holístico**

O idiota absoluto, o esquerdista ( e psicopata sádico não adaptado) e o conservador, o psicopata sádico adaptado.

Para criticar, zombar, desdenhar, desejar coisa ruim e até mesmo colocar em prática toda esta má fé, em relação aos seus ”não-aliados”, esquerdistas e conservadores, mais uma vez, são identicos. Mudam os bodes expiatórios, mas as intenções proto-psicopáticas e primitivas continuam sendo as mesmas.

A ”raça branca” que os esquerdistas tanto odeiam, pode ser comparada em pé de igualdade aos ”homossexuais” que os direitistas tanto detestam. Claro que, nem todo esquerdista será um racista anti-branco e nem todo conservador direitista que será um homoaversivo.

Eu já comentei com voces que a norma na ”natureza”, é o sucesso dos mais adaptados e o que vemos no mundo animal, é justamente a propagação das espécies mais agressivas. A natureza é linda, ”perfeita”…. mas é psicopática também.

Não adianta voce ser super empático com o seu filho e não tentar ter o mínimo de empatia em relação ao filho do vizinho, se isso for o certo a se fazer.

Os judeus ashkenazis por exemplo, não podem ser considerados como psicopatas completos, porque nutrem um grande carinho em relação aos seus próprios. No entanto, toda esta empatia, parece se concentrar apenas para aqueles de dentro de suas comunidades ao passo que em comparação ao resto, os ”forasteiros”,  eles agem exatamente como psicopatas (não apenas agem como psicopatas… não todos eles, é claro).

E a mesma regra de ouro no reino animal pode ser observada entre os seres humanos.

Racionais**

Não.

Empáticos**

Também não.

O ser humano médio é mais racional e empático que um primata médio, mas ainda estará bem longe da perfeição nestes dois quesitos.

Esquerdista ou socialmente liberal, o idiota absoluto da esquerda e extra-psicopático não-adaptado

Todos estes mequetrefes aqui de cima foram presos porque faziam parte de uma máfia de ”imigrantes” ”asiáticos” (terminologia britanica para os imigrantes asiáticos, do subcontinente indiano, do oriente médio e leste asiático) que explorava a prostituição de milhares de meninas brancas na cidade de Rotherham, na Inglaterra.

Da mesma maneira que os esquerdistas brasileiros, em média, desprezam completamente as vítimas fatais de criminosos mirins (ou não) justamente pensando no bandido, como se ele fosse o único a merecer alguma consideração, os esquerdistas britanicos fazem o mesmo ao não  se abalarem com esta notícia acima porque

– as vítimas são da raça branca, europeia, caucasiana

e porque os algozes são parte do sonho multiculturalista que tanto ”zelam”.

As meninas e adolescentes britanicas da classe trabalhadora, que são brancas como porcelana pura, não merecem qualquer sentimento mesmo se suas vidas tiverem sido transtornadas por psicopatas de origem imigrante e que professam a tal religião ”da paz”.

Os esquerdistas ”são” um anjo para com aqueles que são protegidos por sua ideologia, como as tais ”minorias”, ou que fazem parte do seu grupo de ideólogos (eles mesmos).

E são o próprio diabo em relação aqueles que não compactuam com os seus pressupostos.

-Proteção do meio ambiente,

-Direitos dos animais não-humanos,

-Direitos dos negros ou qualquer outra MINORIA (que com a imigração em massa, deixarão de ser apenas minorias).

– Direitos dos homossexuais ou de qualquer outra minoria comportamental potencialmente neutra (sim, muitos homossexuais são extremamente impulsivos e se tornam vetores de dsts dentro da própria comunidade, ameaçando aqueles que não foram infectados, mas eu disse certa vez que ao invés de uma expansão ”degenerativa”, este tipo de comportamento tende a ser de natureza implosiva, sem causar grande avaria em relação aqueles que não estão dentro do grupo).

Eu concordo totalmente e assino em baixo em relação a todos estes pressupostos. Claro que com base em uma análise justa, holística, em que realmente farão todos felizes, satisfeitos e seguros, especificamente em relação aos dois últimos.

Mas em relação a estes aqui

– Direito total e sem nenhum critério ao aborto,

– Legalização das drogas,

– Contra a redução da maioridade penal

… eu sou bem mais reticente especialmente em relação ao último, ainda que concorde que as cadeias brasileiras já estejam superlotadas, mas por que será** Será que é por que tem muito bandido neste país** Mas se o comportamento é geneticamente predisposto então… isso significaria que muitos (mas não todos) brasileiros carregam genes que os predispõe ao comportamento criminoso** Elementar que a grande maioria dos esquerdistas negarão esta possibilidade.

Sobre as drogas, bem, as drogas são um vício e se fossem tal como erva de gato, eu não me preocuparia. Eu até acharia divertido tomar um somma de vez em quando pra ampliar minha capacidade imaginativa, de maneira artificial, diga-se. A sensação produzida por esta ”erva” hipotética, não duvido, de que seria muito interessante. Só que o problema é que a maconha é apenas a ponta de um iceberg chamado tráfico internacional de drogas. Isso sem falar que a substancia a longo prazo pode ter consequencias ruins ao cérebro, da mesma maneira que o cigarro costuma ter em relação aos pulmões. Eu não tenho uma opinião plenamente formada sobre este assunto porque é necessário pensar em muitas questões e não apenas o simples ato de fumar um baseado. Sou a favor da legalização, mas com mudanças substancialmente significativas em relação a todo o resto que se relaciona com a maconha, como o próprio tráfico.

O aborto é uma medida paliativa que visa mascarar falta de responsabilidade, não de todas as mulheres que se utilizam dele, mas de muitas. Em um mundo com camisinha dentre outros métodos disponíveis na farmácia mais próxima de voce, as desculpas para serem usadas como argumentos a favor do aborto, escaceiam ou envelhecem.

Ainda que com relação a muitas questões, os esquerdistas estejam bem mais corrretos que os direitistas, eu tenho a nítida impressão de que sempre acabam

– tendo argumentos ruins e piorando a ideia original

– ou, escolhendo o pior lado de uma situação como acontece no caso da redução da maioridade penal.

Os esquerdistas não trocam os pés pelas mãos apenas em algumas destas questões muito sensíveis e importantes para cada cidadão trabalhador de uma nação, porque eles também vestem a camisa de força de maneira vigorosa, quando tentam argumentar a favor de uma igualdade galgada em mentiras apoiadas pela Unesco.

Eu sou a favor da igualdade social, mas com base em racionalidade porque as pessoas não são naturalmente iguais.

Para aqueles que pensam o contrário…

… além de negarem as obviedades sobre a natureza comportamental e biológica humana

– que é variável,

– que é desigual (especialmente a partir de determinados contextos… contextos sempre existirão ainda que seja necessaŕio apelar pela neutralidade, sempre),

– que isto implica em diferenças entre populações… povos, etnias, raças,

– que dentro desta diversidade desigual, essas populações, por causa de seus respectivos históricos evolutivos, evoluíram para se comportarem de certa maneira, obviamente, em média, e que esta regra, se aplica a todos os traços, inclusive aqueles que despertam sensibilidades, tais como a inteligencia,

que as pessoas tem o direito de escolha quanto a ”se” miscigenarem ou não,

que as pessoas tem o direito a escolha se desejam imigração (em massa) em seus países ou não,

… o chamado ”senso comum”, os esquerdistas ainda se utilizam de generalizações grosseiras, torpes, para fundamentar os seus argumentos e seus ativismos sociais, patrocinados pelas elites globalistas, é claro.

O idiota absoluto da esquerda, raciocinou que, como foram ”os brancos” que colonizaram e depredaram as nações ”do sul”, então, todos eles devem pagar por aquilo que, enquanto indivíduos temporalmente vivos, nunca tiveram qualquer culpa. Eu já expliquei sobre estes pormenores. Eu, que sou ”branco” (um whigger), nasci no final da década de 80, não sou culpado por nenhum crime que foi cometido ”pela” coletividade demográfica a que pertenço (na verdade foram cometidos a mando das elites em suas respectivas épocas e por grupos de psicopatas… em outras palavras, psicopatas que estão no poder criaram a ”culpa branca” para jogar a culpa do seu grupo mental, que sempre está aprontando das suas, nas costas de uma abstração demográfica, com intenções potencialmente genocidas).

Além de generalizarem grupos, desumanizando-os, eles também criam narrativas extremamente simplistas, infanto-juvenis para justificarem

– a imigração em massa para os países de populações brancas, que com taxas de fecundidade muito baixas, caminharão para serem extintas.

E esta guerra psicológica também é real e com consequencias reais tais como os estupros cometidos contra mulheres brancas nos países europeus.

Zero empatia para os ”brancos” (que não são esquerdistas),

zero empatia para os sírios e ou os líbios,

Zero empatia para as vítimas de crimes urbanos, muitas vezes que serão da classe trabalhadora, aquela que os esquerdistas juraram defender, na época da revolução ”russa”…

Se não tem empatia, qualquer remorso e ainda justifica o mal, então só pode ser algum tipo de psicopata.

O idiota absoluto da direita, o conservador, o extra-psicopata adaptado

Do lado direito do cabo de força evolutivo-dualista, os conservadores não ficam atrás na categoria ”psicopata com o inimigo, anjo com o aliado” (e rigoroso em relação aos ”filhos problemáticos”). Um quinto da população branca americana é composta por esquerdistas ou (socialmente) liberais, enquanto que o percentual de conservadores é provável de ser bem maior.

O conservador médio americano

– votou em Bush e votaria no mister Burns dos Simpsons,

– ojeriza vegetarianos, acha que os homossexuais não devem ter o direito de se casar, e mais, se fosse possível, até os colocaria novamente na lista negra da psiquiatria,

– generaliza minorias (ainda são minorias), especialmente os negros, desprezando os seus virtuosos,

– acha que o mundo é perfeito, que a (pseudo) religião está sempre certa, que aqueles que não conseguem construir um padrão de vida sustentável ou estável, são totalmente culpados por suas situações,

lamentam um mundo em que o sadismo da humilhação grátis e perseguição sistemática possam ser combatidos,

– acreditam que guerras são sempre justificáveis,

– negam o aquecimento global e ainda são capazes de minimizar os efeitos da industrialização sobre a natureza…

Além das idiossincrasias políticas, os conservadores também se diferenciam dos seus algozes da esquerda, apenas pelos tipos de bodes expiatórios e justificativas de persegui-los, porque em relação ao fator psicopatia, eles são quase tão tranquilamente carniceiros quanto os vermelhinhos.

Os conservadores são os psicopatas moderados evolutivamente adaptados, que perpetuam as suas fantasias e irracionalidades de grupo desde a muito tempo.

Frieza em relação aqueles que não compactuam com suas agendas evolutivas, afagos para aqueles que o fazem.

A tal subjetividade que eu tenho falando tanto se caracteriza justamente por essa incapacidade de entender a imagem maior, o contexto geral e a de buscar pela sabedoria.

O idiota absoluto ou o ser humano médio, será

– tendenciosamente ”empático”

e

– predominantemente irracional

Sua hipocrisia (irracionalidade) é o seu principal argumento.

E no meio das duas antas, uma anta chamada judiaria organizada, que é muito mais (primitivamente) inteligente porém igualmente psicopática em sua raiz, orquestra o show de horrores que o ocidente (ou acidente) se transformou.

E depois eu é que sou taxado de doido, conspiracionista, que não tem ”senso comum”.

Se voce concordou com tudo ou quase tudo aquilo que escrevi neste texto, então concordará comigo que a humanidade possa ser considerada como um grande sanatório e que nós sejamos os poucos reais normais (naturais, racionais e empáticos).

‘Qi’, ”inteligencia” e mundo real

Os esquerdistas são inteligentes****

 

A foto acima faz parte de um conjunto de testes que foram produzidos com o intuito de se estudar as diferenças ”culturais” entre ”leste” (leste asiáticos) e ”oeste” (”ocidentais”, ou seria melhor, europeus e descendentes). Percebeu-se que os ”orientais” foram mais propensos a escolher o grupo A enquanto que os ”ocidentais” foram mais propensos a escolher o grupo B. Eu escolhi o grupo B porque o caule em negrito e em riste é a única semelhança universal em relação as flores deste grupo.

Uma analogia sobre observação e perspicácia. A capacidade de perceber o mundo, de entende-lo.

Dentro da comunidade Hbd, temos lido que existe uma maior proporção de pessoas que pontuam bem em testes cognitivos e que aderem a ideologias esquerdistas. Bem, voce que já debateu ou tentou debater com um esquerdista, já deve ter notado que uma boa parte deles não são lá muito inteligentes. Parece que nós temos uma grande parcela da população de esquerdistas que são definitivamente, incapazes de entender o mundo a sua volta. Eu acredito e tenho quase a absoluta certeza de que a percepção seja o componente fundamental da inteligencia porque se relaciona com a capacidade de sobrevivencia e quanto mais desenvolvida for, maior será a inteligencia genotípica real.

Se existem mais pessoas ”com” ”qi” acima da média que são esquerdistas fanáticos, isto é, que desprezam toda a sorte de inconguencias consideráveis que entoam desta ideologia, sem falar nos atropelos subsequentes, então parece haver algo de errado em relação a fiabilidade dos testes de qi. Eu não sei quanto a voce, mas eu tenho visto com frequencia, pessoas na internet comentando sobre ”como eles são inteligentes POR CAUSA de ”seus” ”qis” avantajados”. Hoje em dia, já se tornou comum substituir o termo ”inteligencia” por ”qi”. O famoso determinismo do qi, que está cada vez mais forte e cada mais circular em seu pensamento.

 

 O conhecimento se dá por analogia ao mundo real

 

Há uma considerável proporção de universitários que são de ideólogos esquerdistas. Parece haver uma vulnerabilidade de mentes um pouco mais complexas do que a média para aderir a esta confusão mental chamada esquerdismo. Ainda que muito de sua ideologia esteja correta, uma boa parte dela é tão simplista e superficial, que a parte podre acaba por corroer todo o resto. Tal como aconteceu com os esquimós em relação a miopia, quando deixaram o seu hábitat natural em direção a moderna sociedade ocidental canadense,  o meme esquerdista parece ser uma predisposição muito comum para a ”fração inteligente”. Mas aí, é evidente que aparecerão as exceções. Eu sou uma delas. Se tivesse uma cabeça mais fraca, eu já teria aderido ao esquerdismo fanático, hipócrita, analfabeto e cego a qual uma boa proporção dos ”inteligentes” já fizeram. Uma boa parte dos meus conhecidos de faculdade, são ao menos, parcialmente esquerdistas. E no Brasil, ser parcialmente esquerdista, já é praticamente como ser um ‘liberal’ nos EUA. Não que eu seja de direita, odeio o capitalismo selvagem que vivenciamos, pra começo de conversa. Mas não posso em hipótese alguma confabular com esta diarreia mental que se tornou o esquerdismo, isso sem falar na narrativa infanto-juvenil que usam para ”entender” o mundo. Eu que tanto falo de múltiplas perspectivas, jamais aderiria a este grupo, ao menos se não fosse pra ganhar algo em cima, porque por puro idealismo, se consistirá em uma bela de uma estupidez.

Um dos mais famosos paradoxos do conhecimento hbd é justamente esta relação comica entre esquerdismo e alto qi. Ok, vc ser a favor do casamento gay ou mesmo, indiferente a ele, eu também sou. Voce ser a favor da igualdade, eu também sou. Vc ser a favor do respeito mútuo, eu tbm sou. Vc ser a favor da paz, do respeito ao meio ambiente e aos direitos da mulher, eu tbm sou. O problema é quando voce é a favor de tudo isso, mas não entende o que tudo isso significa. E isso se chama estupidez, falta de sabedoria. O sábio sabe medir os seus passos, porque sabe mensurar suas forças e fraquezas. A partir do momento em que voce passa a estudar um assunto e não tem recursos cognitivos para entende-lo e mais, não sabe que não tem estes recursos inatos, então  será uma pessoa estúpida. Qualquer ”celebridade cognitiva” que já considerou suas pontuações de qi como um reflexo perfeito do seu intelecto, provavelmente não se conhece o suficiente para perceber que não é tão simples assim. Fala-se muito na ”navalha de Ocam”, mas eu tenho a impressão que muitos daqueles que a clamam, estão a confundir simplismo com sinteticidade.

 

 

Múltiplas inteligencias, castas cognitivas e a metáfora da aranha e da vespa parasita

 

Como eu sugeri em um texto anterior, o desenvolvimento mental assíncrono, não é uma particularidade apenas dos superdotados, mas também de todos os seres humanos bem como de qualquer espécie provida de diversidade natural. E o ser humano será mais complexo e diversificado, obviamente. Portanto, enquanto que alguns chegarão aos 20 anos com uma mente parecida com a minha, objetiva, justa, coerente, em busca da verdade, outros, chegarão na mesma idade, com um déficit no mesmo quesito, que no entanto,  poderá vir acompanhado com uma maior capacidade por exemplo, em línguas ou em matemática. A partir da universalidade do desenvolvimento mental assíncrono, partimos para as múltiplas inteligencias, a famosa e popular teoria, inclusive entre muitos círculos esquerdistas, que foi infelizmente, usada pelo seu criador, para propagar factoides sobre a biologia cognitiva humana. Sim, todos nós somos bons em alguns aspectos cognitivos e piores em outros, talvez não aja um ser humano que seja bom em tudo ou ruim em tudo. Estes extremos, se existirem, não serão de seres humanos, se o que define a humanidade é sua imperfeição ou diversidade individual de forças e fraquezas. O mendigo pode não ser tecnicamente inteligente, mas ter uma sabedoria primitiva, fantástica, que poucos tem.

Em Krypton, todos já nascem com uma predisposição laboral específica. Não muito diferente do planeta Terra, =)

 

A partir das múltiplas inteligencias, partimos para uma divisão de trabalho coerente e correta, que deveria ser a regra em todas as sociedades humanas, e talvez seja, mas especialmente naquelas sociedades que definimos como ”selvagens”. Aquele que nasceu para fazer contas matemáticas (qi matemático maior combinado com outros recursos cognitivos), aquele que nasceu para aprender vários idiomas ou para estudar línguas. Nós temos uma plasticidade comportamental (limitada) que desemboca obviamente em uma plasticidade cognitiva ou laboral. Quem é bom em estudos da linguagem humana, pode ser bom para lecionar (especialmente, o portugues) assim como também poderá ser bom para ser jornalista ou um escritor. Perceba que todas essas profissões estão relacionadas, todas tem um ponto de similaridade cognitiva.

As castas cognitivas funcionam justamente tal como no planeta imaginário do Super Homem, Krypton, onde todos nascem com uma especificidade laboral ou cognitiva, mais específica. Se todos fossem empregados naquilo que são melhores e que gostam (ambos tendem a se relacionar guturalmente), não haveriam problemas sociais. Mas para vc explicar esta quantidade de variáveis para um esquerdista, ”justiceiro social”, até que ele caia em si, e aceite que o seu argumento é irrefutável, pode esperar no mínimo uns cinco anos, especialmente se for um esquerdista mediano e hardcore. Percebam que justamente aqueles que mais clamam pela igualdade são justamente os que mais lutam contra ela. E não importa o qi que ”tenham”, são estúpidos. A proporção de inteligencia e estupidez a nível individual, de causa obviamente genética, nos mostra que o mito, dos mais resistentes, da relação linear entre inteligencia e racionalidade, é provável de não ser palatável para o mundo real. Mas talvez, poderia ser de bom tom, se pudéssemos regredir ao conceito científico e mais holístico de inteligencia, para que possamos julgar a incapacidade atroz destas pessoas de entenderem o mundo real.

 

A partir de “Mainstream Science on Intelligence” (1994), uma declaração editorial por cinqüenta e dois pesquisadores:
A capacidade mental muito geral que, entre outras coisas, envolve a capacidade de raciocinar, planejar, resolver problemas, pensar abstratamente, compreender idéias complexas, aprender rapidamente e aprender com a experiência. Não se trata apenas de aprendizagem livro, uma habilidade acadêmica restrita, ou de fazer o teste smarts. Em vez disso, ele reflete uma capacidade mais ampla e profunda de compreender nossa arredores- “pegando”, “fazer sentido” das coisas, ou “descobrir” o que fazer.

 

A partir de “Inteligência: Conhecidos e Desconhecidos” (1995), um relatório publicado pelo Conselho de Assuntos Científicos da Associação Americana de Psicologia:
Os indivíduos diferem um do outro em sua capacidade de compreender idéias complexas, para se adaptar de forma eficaz para o meio ambiente, para aprender com a experiência, para se envolver em várias formas de raciocínio, para superar os obstáculos por preocupar-se. Embora essas diferenças individuais podem ser substanciais, eles nunca são inteiramente consistentes: o desempenho intelectual de uma determinada pessoa irá variar em diferentes ocasiões, em diferentes domínios, como avaliado por critérios diferentes. Os conceitos de “inteligência” são tentativas de esclarecer e organizar este conjunto complexo de fenômenos. Embora considerável clareza foi alcançada em algumas áreas, há tal conceituação ainda respondeu a todas as questões importantes, e nenhum comandos assentimento universal. De fato, quando duas dúzias de teóricos proeminentes foi convidado recentemente para definir inteligência, eles deram duas dúzias, um pouco diferente, as definições.

Tem um vocabulário avançado*** Sabe fazer contas matemáticas complexas*** Vai bem em testes cognitivos***

Mas não entende o que se passa ao seu redor *** E não quer entender******

Desculpe, mas voce não é tão inteligente assim como pensa. (claro, aqueles que leem este blogue não devem se sentir ofendidos, porque não foi dirigido a voces)

 

Eu já usei bastante esta metáfora e vou usá-la em um próximo texto para falar sobre as múltiplas inteligencias de brancos europeus e judeus. Mas é sempre bom usá-la. A vespa ‘entende perfeitamente’ como a aranha funciona, claro, provida de um mínimo de autoconsciencia, na base do instinto. A vespa parasita da Costa Rica tem mesmo a capacidade de atacar a aranha e transformá-la em uma escrava. O ser humano, é claro, aquele provido desta capacidade, pode fazer o mesmo, sem a necessidade de se relacionar apenas com o seu instinto.

A vespa não produz nada, não pode fazer uma linda teia como a de cima, mas pode infectar a aranha com o seu veneno e transformá-la em um zumbi. Perceberam que nem a vespa é totalmente superior a aranha, porque depende dela, nem a aranha é totalmente inferior a vespa, porque não depende da vespa para viver.

Talvez, os esquerdistas sejam mais como a aranha, ou talvez nem isso, apesar do vocabulário mais rebuscado (que ri daqueles que pedem o impitimam, de santos que são), de uma maior capacidade para pensar de maneira abstrata, diga-se, uma parte, talvez bem minoritária deles, eles simplesmente não se conformam com a realidade ou são tão confusos que não a entendem. A natureza os despreza. Simples assim.

Portanto, para princípio de conversa, objetiva e coerente, temos de tirar da cabeça desta imagem linear de distribuição do intelecto humano, representada pela curva de sino e começar a perceber que a Terra não tem uma superfície lisa e não é plana, e da mesma maneira, a complexidade cognitiva humana, que de longe parece fácil de entender, é mais diversa, rica e entendível quando vista de perto ou por meio de um microscópio metafórico.

Se não entende a realidade, então é um inútil que só problemas causará e a realidade é taoista, complexa e simples de se perceber.

 

 

Professores (Doutrinadores), Psiquiatras (e psicólogos) e Jornalistas O que estas 3 classes tem em comum??

O ”liberalismo”, que no mundo não-anglo, nós denominamos como ”esquerdismo” ou ”socialismo”, é uma das mais ”novas” armas de opressão mental e coletiva, made in psychomind. O trabalho de ‘gênio”, para induzir a própria população para depredar a sua liberdade pessoal em prol de um estilo de mentalidade dominado pela histeria coletiva e por fanatismo ideológico, está se desenrolando diante de nossos olhos. Os brinquedos tecnológicos contribuem consideravelmente para afagar qualquer tentativa de rebelião organizada. A ”transcendência coletiva humana predominante”, que antes, baseava-se na velha opressão de natureza darwiniana sobre a população contextualmente não adaptativa, agora é usada pelas elites globalistas ocidentais, que usam a moeda da ”vingança”, para manipular as suas massas de servidores contra os velhos opressores. Mas claro que, ao invés de pressionarem as elites, ”povo” ataca ”povo”.

Algumas palavras são apenas pretensões utópicas da espécie humana,

diálogo,

sabedoria,

neutralidade,

Deus,

Hobbits

Eu não defendo o ”conservadorismo”, nem o ”capitalismo”. Só me interesso pelo verdadeiro ajuste das sociedades humanas e sei que nenhum extremismo está correto. E no caso do ”socialismo”, a situação é ainda pior visto que sociopatas altamente inteligentes, usam de promessas agridoces  para impor a opressão sobre a população.

Para isso, eles precisam de uma tropa de choque de idiotas úteis, para convencer e impor sobre o restante da população as suas diretrizes, os seus planos quinquenais. Se antes, os governos totalitários, travestidos verbalmente de ”socialistas”, apresentavam as suas diretrizes nas tvs estatais por de baixo da ”cortina de ferro”, agora, é por meio de propaganda massificada, que as ”elites” impõe a ferro e fogo as suas vontades.

O idiota útil genuíno é aquele que realmente acredita no caráter do sistema que defende. Dentro desta população, os mais espertos são de sociopatas de menor ambição, que manipulam os seus colegas por cargos e posições de maior prestígio.

As 3 classes cognitivas e laborais que mais contribuem para a lenta imposição de regime totalitários de esquerda no Ocidente são: professores, psicólogos ou profissionais da ”saúde mental” e jornalistas.

Professores ou doutrinadores

”Livre” pensamento??

Uma frase recorrente entre os professores: ”Sem o professor, não haveria o bibliotecário, o engenheiro, o físico…”

Você nunca verá um professor completando esta frase com… ”o gari, o pedreiro…”.

Professores tendem a ser megalomaníacos em relação à sua profissão. Como eles realmente acreditam em lamarckismo e mutação por esforço repetitivo, então acreditam que o sucesso ou o fracasso de um aluno, está sob o seu domínio. Isto é, se não for o professor para ”ensinar” e ”incentivar” a sua classe de maneira eficiente, os alunos ”fracassarão” ou ”vencerão” na vida. Despreza-se COMPLETAMENTE o papel das predisposições genéticas. Não é apenas um extremismo, é o extremo do extremismo.

Como eu disse no texto anterior, se as pessoas precisam ser ”incentivadas” a gostar de estudar, de adquirir conhecimento, entender como o mundo funciona, refletir sobre a vida, então realmente há algo de errado com a humanidade em relação a esta perspectiva.

As pessoas são forçadas a frequentar a escola por quase duas décadas, por meio de chantagens. ”Se você estudar, poderá ter um emprego melhor e GANHAR DINHEIRO”. A palavrinha mágica ($)-($) que faz os olhinhos humanos brilharem de alegria.

Eu acredito que não é nada incomum que os autodidatas tenham uma tendência para repelirem o sistema escolar, monótono e pedante. E que a recíproca também seja verdadeira. Afinal de contas, aquele que nutre amor natural pelo conhecimento,  o fará desde criança e geralmente, terá vontade própria. O autodidata define a sua agenda de estudos, o que estudar. Na verdade, não existe uma planilha organizada para os estudos porque a descoberta tende a se dar de maneira natural e espontânea. Agora, coloque esta criança ou este adolescente dentro de uma sala onde será obrigado a estudar aquilo que não quer???

Os professores são doutrinadores de sistemas opressores, desde antes da tomada definitiva do poder por ”socialistas fabianos”. Por exemplo, no passado, os professores batiam nas mãos dos alunos que escreviam com a mão esquerda. O professor do passado, legitimava a opressão conservadora. Agora, é a opressão liberal que eles legitimam.

A imagem caricatural do professor como uma pessoa maravilhosa, inteligente, de bom caráter de hoje em dia, nada se assemelha com o passado onde o estereótipo era bem mais negativo. Ao invés de sorridentes e cheios de boas intenções, os professores eram temidos.

Boa parte dos professores são de idiotas úteis. E uma das maneiras para se medir a que grau de ”idiotice” um grupo ou um indivíduo está submergido, será por meio da credulidade em relação à crença ”nurturista” ou ”lamarckiana”.

Quem não consegue capturar padrões consistentes de comportamento, mesmo que esteja interagindo diariamente com estas circunstâncias, não é capaz de capturar a harmonia, não tem intuição lógica para captar os tópicos fundamentais do ambiente em que está inserido. E os professores, por alguma obscura razão, tendem a desprezar todas as evidências que estão a pular em cima de suas faces descrentes sobre comportamento humano e predisposições genéticas.

É evidente que nem todo professor será assim. Eu mesmo, tenho vocação para lecionar, mas a paisagem comum da profissão é a de extremo conformismo e dissonância cognitiva para entender a realidade.

A série de filmes ”Jogos Vorazes”, mostra de maneira realista como seria a classe de idiotas úteis. Fúteis, ingênuos, artificiais, perversos (não exatamente no sentido sexual), conformistas e tecnicamente inteligentes.

Psiquiatras ou psicólogos

Quando tinha mais ou menos 13 anos de idade, eu tive uma crise de fobia social e simplesmente parei de sair de casa. Só ia na escola. Me lembro que cheguei a perder a capacidade de andar ”normalmente” nas ruas (aliás eu acho que nunca tive, especialmente se precisa pensar sobre isso, rsrsrsrsrs). Então os meus pais resolveram me levar para uma psicóloga de cidade pequena, daquelas que vem de uma família de classe média, é bonita, bem sucedida e se sente a ”pessoa perfeita” para expiar os supostos defeitos dos outros. A maior parte dos psicólogos são doutrinados a acreditar (e na verdade, já apresentam predisposições anteriores para acatar este tipo de pensamento) que o problema sempre se encontrará fundamentalmente no seu paciente. O problema é o paciente. Eles devem pensar que o mundo é perfeito e que os seus pacientes são problemáticos de nascença. Eu acredito que quando você é compreendido e amado, dependendo de suas predisposições, existe uma grande chance para melhorar o seu comportamento e não falo sobre a conduta com os outros, mas consigo mesmo.

Em condições ”normais”, os genes não impõe determinado comportamento, mas predispõe, isto é, determinados gatilhos ambientais podem exacerbar a expressão de determinado fenótipo em comparação a outro, dentro de um limite de suscetibilidades. Portanto, é muito difícil que uma pessoa muito extrovertida se torne depressiva. Mas as chances existem. Gatilhos ambientais podem aflorar comportamentos psicopáticos em alguns subtipos, enquanto que não terá o mesmo efeito em outros.

Os psicólogos fazem parte da Santa Trindade do Liberalismo ou do Esquerdismo, porque eles contribuem para forçar a população para o conformismo moderno, que está sob a hegemonia dos ”esquerdopatas”. Eles tem em mãos, a arma da manipulação da percepção contextual coletiva, onde determinados comportamentos podem ser socialmente ostracizados, como por exemplo o abstrato ”racismo”.

Pois bem, logo nas primeiras sessões de ”terapia” ou ”análise” a que fui submetido, a psicóloga (um dos muitos produtos das fábricas de diplomas que as universidades se transformaram) me diagnosticou como bipolar e receitou anti-depressivos. Receitar anti-depressivos para um adolescente, não deve ser muito diferente do que presentear os 15 anos de aniversário de sua filha com um par de silicone para aumentar os seios.

Se eu não fosse um jovem altamente perceptivo, desde aquela época, eu teria acatado as ordens da psicóloga e tomado o remédio. Reparem que ela demorou pouco tempo para concluir que deveria ser medicado. Eu fico pensando na quantidade de pessoas que esta pateta desgraçou a vida, com seu pedantismo e irresponsabilidade inconsciente, baseada em sua arrogância natural.

Eu me lembro de ter visto na televisão naquela época, o caso de uma celebridade com transtorno bipolar (ou personalidade bipolar) e pelo fato de que ela sempre precisou tomar os remédios para não ter crises de desequilíbrio emocional. Eu não consegui me ver na mesma situação porque nunca precisei tomar remédios para regular meu humor. Não que tenha um enorme autocontrolo de minhas emoções, mas realmente nunca precisei de intervenções intrusivas como esta para levar uma vida normal ou simetricamente emotiva. Resultado, não tomei os remédios, aguentei alguns meses fazendo ”análise” com ela. De uma certa forma, isso me ajudou. Me ajudou a dar o primeiro passo para o autoconhecimento…

Assim como no caso dos professores, há uma grande presença de idiotas úteis dentro da psicologia. São aquelas pessoas que estão quase que totalmente destituídas de sabedoria e que acreditam que o mundo em que vivemos é espontâneo e justo ou que ao menos, agora com a hegemonia ”socialista”, se tornará justo.

Os idiotas úteis são as tropas de choque de qualquer ideologia, porque eles defenderão fanaticamente qualquer regime que

os sustentem financeiramente e que estejam em conluio com suas visões de mundo.

Portanto, a diferença entre um neonazista, um esquerdopata, um religioso fanático e um fã de celebridades, é praticamente inexistente quanto às suas essências existenciais.

É muito comum vermos este tipo de mente fanática dentro da espécie humana.

E eu ainda acredito que essas pessoas possam ser mais facilmente hipnotizadas. Enquanto alguns poucos, criam mundos imaginários, outros, os vivenciam literalmente. Negar o rosário de mantras ideológicos que são cotidianamente pensados e propagados pelos esquerdopatas, para eles, seria como negar que o céu se situe acima de nossas cabeças.

Os psicólogos contribuem ostensivamente com a patologização oficial de determinados comportamentos, tal como no caso de experimentos com ratos de laboratório, onde o apetitoso queijo provoca choques elétricos e faz o rato refugar o ato de pegar e comer o alimento.

A quantidade de ”transtornos de personalidade” parece dobrar a cada 4 anos. Agora inclusive, eles resolveram criar um novo tipo de ”doença mental” que cai como uma luva para as mãos de ferro dos psicopatas que estão a nos governar. Se você não demonstrar ”respeito à autoridade”, deve se preocupar porque está acometido por um ”transtorno desafiador de oposição”.

Muitos dos ”sintomas” das ”doenças mentais”, na verdade, mais parecem com traços comportamentais ”indesejáveis” do que com mal funcionamento crescente e potencialmente mortífero do sistema nervoso. Ninguém morre de autismo ou de tdah. Muito menos pela enorme quantidade de ”transtornos de personalidade” que já foram inventadas.

A obsessão autista, que está diretamente relacionada com o talento savant desta população, ”é um sintoma”, porque segundo as cabeças pedantes de boa parte dos ”profissionais” de ”saúde mental”, alguém que não gosta de socializar (ou não sabe como fazê-lo), só pode ter algum tipo de defeito. Desprezam o talento natural autista por seus déficits na capacidade contextual de socialização, isto é

mentir descaradamente,

acreditar em factoides,

compartilhar interesses fugazes

e usar o conhecimento como meio para ganhar dinheiro ou obter status social.

Parece evidente que os psicólogos estejam sempre trabalhando dentro de uma ”linha de normalidade”, onde aqueles que saem destes parâmetros convencionalmente adotados, mesmo que não desenvolvam comportamento objetivamente negativos para a sociedade, como a expressão da personalidade sociopática, serão duramente categorizados como patológicos, que precisam de ”tratamento” para tentar aderir às roupas de normalidade. É como tentar forçar uma mulher gorda a entrar em um manequim 37.

Jornalistas

– ”A previsão do tempo hoje é de calor de 43 graus à sombra”.

– Que ótimo!!!! Hoje vai dar pra eu curtir uns momentos de descanso na praia!!! (grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr)

Se você odeia calor, então deve odiar aquelas repórteres-âncoras que festejam de sorriso largo mais um dia de sol forte e calor em uma metrópole terceiro-mundista. Eu que já detesto calor (praticamente) no meio rural, fico imaginando como reagiria ao sorriso da demente de roupa elegante, dentro de um estúdio gelado, se alegrando com o calor de sempre em um país tropical e disfuncional. Ao menos se fosse nas Bahamas… (e longe dos ”nativos”)….

Das 3 classes (com dissonâncias) cognitivas da Santa Trindade do ”Esquerdopatismo”, os jornalistas são os mais influentes e perversos. Enquanto que o mundo está caindo lá fora (do estúdio) e a maioria das pessoas sabem quais são as causas ou inconscientemente sabem quais são as causas, os jornalistas afirmam exatamente o contrário, manipulando a opinião pública e a incapacidade do populacho para fundamentar analogias entre os seus pensamentos e a lógica. Sim meus caros leitores, as pessoas estúpidas, muitas vezes, conseguem pensar intuitivamente e chegar às conclusões que nós também chegamos. Mas, o problema está na construção e portanto, solidificação deste prédio de ideias e pensamentos. Neste processo fundamental, a maior parte das pessoas ”morrem na praia”. Isto é, todos podem ver padrões, mas poucos podem construir conclusões retidas desta visualização, porque para isso é necessário o pensamento abstrato, que é raro entre os comuns.

Os repórteres, inconscientemente (idiotas úteis) ou conscientemente (sociopatas ixxxpertieeenhos), manipulam a opinião pública para não chegar ao consenso popular mais lógico, racional e potencialmente mais sábio, sobre tudo aquilo que nos afeta, por razões obscuras.

O mundo está sendo implodido porque as ”elites globais” tem novas pretensões para a ”humanidade”. Enquanto que, sábios, pensadores livres, inteligentes, muitos gênios e pessoas comuns dotadas de instinto, tentam conter esta implosão, os idiotas úteis e os sociopatas (muitos gênios também), continuam mantendo a destruição, especialmente porque eles

tem poder e influência (leia-se, mídia e demais centros de comandos sociais, como escolas e governos).

A maior parte das pessoas acreditam ingenuamente que aqueles que estão na televisão, são ricos…(etc,etc,etc) ou são jornalistas, apresentaram predicados especiais para ”merecer” as suas posições de destaque. E como a mentalidade média dos seres humanos pouco evoluiu desde que deixamos as cavernas, realizam-se uma enorme quantidade de generalizações extremamente amplas sobre ”mérito” e ”aparência”. Aí ouvimos com frequência que ”os salários astronômicos de jogadores de futebol é totalmente justificável”. Eu esqueci que se não fosse pelo futebol, não haveria civilização. Quer dizer, no mundo idiocrático em que vivemos, as pessoas chamam jogadores semi-analfabetos de futebol de ”gênios”, enquanto que desconhecem quem inventou o telefone ou quem escreveu A República. Eu acho que tenho razão para estar um pouquinho irritado…

As pessoas pensam:

”- Este pessoal da televisão… estes jornalistas são especiais, eles nunca mentem”.

O hábito agora é dizer:

”Por que eles mentiriam??”

Uma única pergunta já pode resumir boa parte da mentalidade de gado.

O mais importante de toda esta panaceia de eventos que estão se desenrolar em nossas existências é a de que, se não fosse a estupidez generalizada das massas (leia-se, a maior parte da população humana), não estaríamos chafurdando na lama por causa destes problemas de mamífero bípede… A mentalidade UGAUGA prevalece em quase todos os ambientes.

De:RefémdoDrDeus Para:Deprimente mundo Assunto:Denúncia de maus-tratos a pensadores

...e Deus criou a Ângela,desapontado com a nossa Eva.Apresento-vos o meu "disco rígido" ...

GRUPO BARRETO / Desde 1988

Assista, comente, curta e compartilhe nossos vídeos do YouTube e GANHE vouchers conosco, consulte condições

Castro456's Blog

O medo do nada

Delusions of Adequacy

And You Thought You Might Have Had Delusions of Grandeur

PARTO DE IDÉIAS

"Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância." Sócrates.

Pensar Novo

"Saber que você precisa mudar não é suficiente. Você precisa ter a coragem de fazer esta mudança." Robert Kyosaki

Mind Hacks

Neuroscience and psychology news and views.

Inside Perspectives

of Asperger Syndrome and the Neurodiversity Spectrum

Agoraphobia Subliminal Hypnosis

Come out of the woods, the dark, come into the light. As a recovered agoraphobic, I've designed these audios over many years in order to help you. Charles K. Bunch, Ph.D.

Antimidia Blog

Textos sem sentido, para leituras sem atenção, direcionados às pessoas sem nada para fazer.

REBLOGADOR

compartilhamento, humanismo, expressividade, realismo, resistência...