Corram que os nossos californianos vem aí!!!

corram para as colinas…

Califórnia e Rio de Janeiro são duas localidades político-geográficas distantes, porém muito parecidas entre si. Ambas são iluminadas por um sol escaldante, tem praias exuberantes e um povo idem. Nos EUA, os californianos tem a fama de serem os mais socialmente liberais e hippies do país. No Brasil, algo relativamente parecido acontece com os fluminenses, mas especialmente com os moradores da ”cidade maravilhosa”. A Califórnia foi o sonho de consumo da classe média branca a partir dos anos 50, 60 e 70. O ‘golden state’ foi uma espécie de paraíso descoberto durante os anos em que jovens americanos cantavam a liberdade. O tempo passou e agora, o estado americamo que conta com um grande número de cidades fundadas por mexicanos, também está se tornando por meio de sua demografia, em parte do país a que pertenceu séculos atrás. Isso poderia ser bom, mas não é. O México, desprezando a enorme simpatia que tendemos a ter por seu produto cultural de maior alcance, isto é, a  intrépida turma de Carlos Bolaños, é tão disfuncional quanto o Brasil. Tem índices de criminalidade nas alturas, um crime organizado cada vez mais atuante e contundente, enormes desigualdades sociais, que estão temperadas com especiarias atemporais que entoam desde as primeiras interações entre o ”homem branco” e os nativos pós-‘civilizados” e que tem produzido a sua essencia transcendental desde então. E todas essas tendencias se baseiam em uma mescla de incompetencia administrativa hereditária (um dos maiores males do terceiro mundo) mais um plus de ”mas a população local também não ajuda nem um pouco para melhorar a situação”, leia-se, predisposições genéticas ou probabilidades de não dar certo, tão certo quanto deu com os anglos antecessores.
Californianos, isto é, uma parte considerável deles, tem celebrado a sua própria deslocação demográfica, com o mesmo misto de ingenuidade e estupidez que caracterizam a capacidade analítica e holística de boa parte dos esquerdistas, daqueles que estão mais para a esquerda, no espectro político.
Aqueles que gritam palavras de ordem em prol de igualdade, agora vivem no estado mais desigual da federação estadounidense e as razões são mais do que óbvias, o enorme volume de imigrantes latinos que tem se mudado pra lá. A Califórnia, que já foi 90% branca caucasiana, agora é apenas 30% e seus índices continuam a diminuir, por que**
Porque os californianos de classe média, brancos e socialmente liberais (isto é, a maioria deles), estão debandando do até então ”golden state” porque o que antes era um sonho, agora está se transformando em um pesadelo. Eles não conseguem entender bem o porque, culpam a violencia e…. o ”homem branco”, mas muitos quando se fixam em suas novas localidades (Texas, Oklahoma, etc), apenas reproduzem o ”californian way of life, think and act”. Ou seja, querem transformar suas novas localidades em uma L.A, multicultural, politicamente correta, diversa e futuramente problemática (desprezando o fato de já ser problemática a curto prazo).
A vida poderia ser uma festa, liberdade é bom e todo mundo gosta, no entanto, para que se possa festejar, é necessário que se tenha a habilidade de se produzir a festa, fazer o bolo, os docinhos, os salgadinhos (apenas de queijo, 😉 ), o ambiente, contratar os músicos que irão tocar na festa. Em outras palavras, é necessário organização, e algumas pessoas serão, quer queiram quer não, mais naturalmente organizadas do que outras. Liberdade sem responsabilidade é como um fogo breve de um fósforo na espreita de ser tomado por ventos a sudoeste. é de curta duração e ao se ver livre, também da responsabilidade, se verá novamente preso a novas formas de limitação da mesma, ocasionada justamente pelos excessos anteriores.
Então, podemos comparar os esquerdistas (em média) exatamente como aqueles que confundem liberdade com anarquia e a partir daí dinamitam seu próprio modo de vida, de maneira coletiva ou individual.
A Califórnia foi uma festa, mas aqueles que sabem organizá-la, agora querem cantar em outras freguesias. Não é que a massa de novos americanos de sobrenome espanhol e rostos mais morenos, sejam de completos inúteis, tal como pareço estar querendo dizer. Não mesmo. Assim como o (tipo de) brasileiro que está economicamente pobre mas é honesto, uma boa parte deles que eu não sei estimar quanto que seria, se consistem de trabalhadores duros que acreditam e tentam seguir os preceitos de sua fé católica. Não são como ervas daninhas, mas como pessoas que tentam a vida no país mais rico de cima. O pior é que como a maioria deles não são suficientemente qualificados (leia-se, contextualmente cognitivamente inteligentes), acabam engrossando as desigualdades da região onde se mudam, ainda mais.
Muitos mexicanos que agora foram transformados em cidadãos americanos, são excelentes pessoas, eu não duvido disso, mas quando não há seleção, maçãs boas e ruins rumarão pelo mesmo caminho e quando voce tem uma maior porcentagem de disfuncionais do lado sul do rio Grande, então não restam dúvidas de que muitos associarão os mexicanos a problemas e não estarão errados quanto a isso. O justo paga pelos erros dos estúpidos do seu grupo e na maioria das vezes, ao invés destes, se dissociarem das maçãs podres, acabam por defende-las, pensando equivocadamente no ”grupo a que pertencem”.  A enorme quantidade de mexicanos vivendo nos EUA, sem contar os outros latino-americanos, assim como também a promessa de uma corrente imigratória incessante de longo prazo de pessoas deste país em direção a ”América”, anunciam um futuro em que, ou haverá um amalgamento cultural e racial entre os dois, ou a multiplicação de conflitos das mais diversas naturezas, semelhante aqueles que se desdobraram em cima das ruínas romanas, a partir da capitulação deste império.
Vamos pensar aqui… Os mesmos problemas que se sucederam 2000 anos atrás, vão se repetir***
Isso é evolução em que planeta***
A Califórnia pode estar perdida e isto terá se dado também por culpa principalmente dos próprios californianos que acreditam nas teorias sem fundamento consistente quanto a uma suposta igualdade de capacidades, temperamentos e culturas neurológicas entre todas as populações humanas. Claro, é a cultura estúpido!! Faça uma legítima lavagem cerebral entre os imigrantes mexicanos e voce terá de volta a juventude dourada que dourava a sua pele anglo-saxã no sol do pacífico.
A analogia com o estado e principalmente com a cidade do Rio de Janeiro, no Brasil, é interessante e válida porque situação demograficamente semelhante tem acontecido por lá, em comparação com a Califórnia. O Rio, foi de fato uma cidade e um estado maravilhosos, tempos atrás, quando ainda não havia inchaço das favelas e a maioria da população era de descendente de europeus, principalmente de portugueses. O tempo passou, e mudanças demográficas alteraram o panorama romantico e elegante da antiga capital federal. Mas será que os californianos tupiniquins saberiam nos dizer o porque destas transformações negativas**
Não, uma boa parte dos cariocas de classe média, que pertencem ao perfil etno-cultural que predominou na cidade, assim como também no estado, durante a segunda metade do século XX, são tão ou mais iludidos com as promessas e as certezas vãs da nova esquerda cultural, quanto os seus homonimos do sudoeste americano. E quando migram, sim, porque muitos cariocas estão buscando refúgio em outros lugares, menos violentos que a ”cidade maravilhosa” ou mesmo, que muitas outras cidades fluminenses, apenas transplantam seus modos de vida e ideologias junto com eles, isto é, na tentativa completamente sem cabimento de ”melhorar o contexto local” justamente com a introdução da mesma fórmula tóxica que tornou os seus ambientes de outrora, piores, do que eram.
Com aquele sotaque que a grande maioria dos outros brasileiros não gostam, o jeito faceiro e malemonte, cariocas e fluminenses de todas as cores, credos e times de futebol, se mudam para cidades mais para o interior ou para outras capitais, emulando o desbravamento lusitano do período colonial, e tal como estes pioneiros de carnificina e conquista, não compreendem a linguagem local, deduzindo pedantemente que seus modos progressistas de pensar, sejam totalmente superiores aos dos locais. Há uma complexidade de observações necessárias a serem feitas neste contexto, porque muitas ”ideias progressistas”, não estarão erradas, pelo contrário, o problema é que elas exigem neuronios a mais para que possam ser corretamente desenvolvidas. Aí que começam os problemas, porque a maioria dos seres humanos não tem capacidade, vontade e necessidade de entenderem essas ideias, e não me refiro apenas aos medianos e aos ‘menos inteligentes”, mas especialmente a classe ”educada”, que além de não conseguirem desbravar tal como pioneiros o mundo abstrato ao qual se prendem, ainda se tornarão tão fanáticas por ele tal como um ”religioso” faz por suas crenças dogmáticas mais antigas.
O jeito paish e amorrr, manso de levar a vida, foi um dos responsáveis pelo crescente acúmulo de problemas numa das metrópoles mais infernais do hemisferio sul. Ignorancia, preguiça intelectual, extroversão e excesso de confiança, são um coquetel molotov certo se deseja derrubar qualquer parametro de funcionalidade em uma determinada sociedade em curto espaço de tempo. Selecione pessoas com este perfil ou as faça se multiplicar como coelhos e terá em algumas décadas um antro anti-intelectual e progressivo, não em melhorias ”para um mundo melhor”, mas por um mundo pior do que era. Uma ”república de Lagado” infernal em que teorias sem pé nem cabeça, devaneios sobre o sexo dos anjos em torres de marfim ”intelectuais” enquanto que temos o caos reinando absoluto lá fora.
Como conclusão. Não fuja apenas de pregadores evangélicos ou testemunhas de Jeová que pensam que voce acorda as seis da manhã todos os sábados, ou da ”moça do telemarketing” querendo vender a própria avo com desconto. Fuja também de nossos amados californianos tupiniquins, os cariocas ”pra lá” de ”progressistas”, que querem fazer todo mundo se sentir como se estivéssemos tomando água de coco em Ipanema, interagindo com ‘comunitários” (com todas as suas exceções virtuosas exaltadas) e olhando pro céu pra ver se não vai chover… bala perdida.. iiii, perdeu a carteira.

Tags:, ,

Sobre santoculto

Email ataudecinzento@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

De:RefémdoDrDeus Para:Deprimente mundo Assunto:Denúncia de maus-tratos a pensadores

...e Deus criou a Ângela,desapontado com a nossa Eva.Apresento-vos o meu "disco rígido" ...

Castro456's Blog

O medo do nada

Delusions of Adequacy

And You Thought You Might Have Had Delusions of Grandeur

PARTO DE IDÉIAS

"Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância." Sócrates.

Pensar Novo

"Saber que você precisa mudar não é suficiente. Você precisa ter a coragem de fazer esta mudança." Robert Kyosaki

Mind Hacks

Neuroscience and psychology news and views.

Inside Perspectives

of Asperger Syndrome and the Neurodiversity Spectrum

Agoraphobia Subliminal Hypnosis

Come out of the woods, the dark, come into the light. As a recovered agoraphobic, I've designed these audios over many years in order to help you. Charles K. Bunch, Ph.D.

Antimidia Blog

Textos sem sentido, para leituras sem atenção, direcionados às pessoas sem nada para fazer.

REBLOGADOR

compartilhamento, humanismo, expressividade, realismo, resistência...

%d blogueiros gostam disto: