Archive | junho 2015

Inteligencia verbal pura ou abstrata versus conhecimentos gerais + vocabulário, o ”fator g” na vida real e o fenomeno dos humanos que cresceram sem convívio com outros de sua espécie

(((( que coisinhas lindas meu Deus)))) 

Pra que serve a comunicação social***

Para ser usada na sobrevivencia.

A inteligencia ”verbal”, apreciada a partir de uma perspectiva naturalista, funcionará principalmente a partir da comunicação oral e para encontrar padrões semanticos, vocabularizados ou não, a capacidade de se comunicar mas também de catalogar uma multitude de padrões e quanto maior e mais preciso ou útil forem estes padrões, mais desenvolvida será a capacidade de sobrevivencia, mas também de sobrevivenciabilidade, que se consiste no ato de manipular conscientemente as armas de defesa visando a auto conservação, diferente da própria sobrevivencia que não tem um conceito mais especializado ou que é mal compreendida, visto que boa parte dos animais se utilizam de sua cognição para sobreviver, ao passo que o ser humano pode usar a sua inteligencia, uma sofisticação da cognição como maneira de interagir com o seu meio. Capturamos padrões e nos comunicamos oralmente com as outras pessoas ou guardamos para nós, como informações que poderão ser úteis. .

A inteligencia verbal vocabularizada se diferencia da inteligencia verbal pura, que se consiste na capacidade de capturar, compreender e comunicar (ou não) um conjunto de informações que estão sendo retidas a partir da interação com o ambiente em que se encontra, de ou dando-lhe,  atribuindo-lhe um valor semantico, uma associação ou analogia. Por exemplo, quando falamos ou pensamos na palavra cachorro, a imagem ou a ideia de cachorro aparece em nossas mentes. O vocabulário é a simbolização de nossas percepções. Eh a fixação da autoconsciencia. Podemos saber que o ”cachorro” é um cachorro apenas por suas características, mas o vocábulo aparece como uma reafirmação de algo que é entendido por pura observação e comparação.

Existe aí claramente uma correlação entre tamanho do vocabulário com alta inteligencia verbal vocabularizada, mas que não será tão necessária para a inteligencia semantica ou inteligencia verbal pura.

Abstrações são padrões que foram capturados do mundo ”real” e manipulados a partir de dentro da mente, por meio da imaginação realista, ou que se consiste em uma realidade maior em comparação aquela que capturamos de imediato, que eu denominei de verdade objetiva, tudo aquilo que nossos olhos podem ver e reconhecer de imediato, a verdade simples. Estatísticas são um exemplo interessante e elucidativo para explicar como se dariam as abstrações, a amplificação sofisticada ou complexa da realidade que nos cerca. A matemática aparece aí como um componente muito importante, mas juntamente a ela, coexiste a capacidade de compreensão de padrões similares ou dissonantes, sem a necessidade de fazer contas para constatar a veracidade destes fatos, é fundamental. A memória guarda similaridades, diferenças e contradições. A matemática aparece como um componente, uma técnica que pode dar um tom mais empírico ou mais consistente aos padrões que capturamos, mas não é 100% necessária, especialmente se voce tiver uma memória verbal muito desenvolvida. A matemática é a técnica de mensuração e manipulação da matéria.

Portanto, quanto maior for o alcance para capturar, entender, reter e manipular padrões semanticos dentro do ambiente de interação, melhores serão as reações que visam mitigar os perigos, e maior será a inteligencia semantica (verbal) pura, que não exige a sofisticação ou mesmo a existencia do vocabulário. Este fator aparece como um componente capaz de melhorar esta capacidade de análise semantica, especialmente dentro dos contextos sociais humanos.

Um indivíduo poliglota ultra-esquerdista que realmente acredita na igualdade racial, é uma demonstração quanto a correlação não-causal entre inteligencia verbal semantica pura e a inteligencia linguística (que determinamos como ”inteligencia verbal”). A lógica não-matemática será a inteligencia ”verbal” pura ou semantica.

A semantica da sobrevivencia,

é a captura de essencias,

é a observação do por do sol e do canto dos pássaros,

é a associação frutífera, do veneno e da labuta,

das diferenças que não podem respirar igualdade absoluta,

da árvore que dá fruta e daquela que dá sombra,

é o valor que damos, o nome ou grunhido que cunhamos,

é a alegoria que internalizamos,

porque o dicionário real é o sentido, do tato a visão,

e a sobrevivencia, é a arte de entender,

imitar aquilo que sustenta a vida,

ou inventar aquilo que pode melhorá-la.

 

Captura e entendimento de padrões como o verdadeiro fator g, o fator modulador da inteligencia humana

 

O fator g foi definido como uma partícula estatística em comum que aparece em todos os testes de qi e que almeja indicar o seguinte

”Todos nós temos uma média de capacidade na execução de todas as tarefas cognitivas, desde dirigir um carro até fazer uma prova de matemática”.

Eu acredito que todos nós tenhamos mesmo uma capacidade média de captura de padrões, mas as médias costumam ser construções estatísticas, especialmente se for baseada em um conjunto estatístico discrepante, com muitas ondulações e outliers. Portanto, haverão médias-g e médias-g.

Os testes de qi enfatizam OU os psicometristas enfatizam a inteligencia geral nos testes de qi e relegam a amplitude cognitiva (forças e fraquezas) a um papel secundário, minoritário e potencialmente proto-patológico.

A inteligencia e portanto a vida não se resumem a testes de qi.

Como eu mostrei em um outro texto, o ponto fundamental da inteligencia não precisa ser ”medido” em testes cognitivos, pelo menos, não da maneira como tem sido, porque pode ser observado a olho nu, a capacidade de encontrar e de entender conscientemente os padrões que estão em constante interação. Este é o verdadeiro fator g, na minha opinião, a essencia funcional e cognitiva da inteligencia.

Eu não acredito que a média de inteligencia matemática dos taxistas ou dos caminheiros seja muito alta mais alta do que a dos próprios matemáticos. Pode ser que exista mesmo uma tendencia para sermos similarmente bons em todas as tarefas, mas para toda a regra, existirão exceções e exceção necessariamente não precisa indicar patologia.

 

Inteligencia e auto consciencia

O ultimato da inteligencia humana, a auto consciencia.

Vamos imaginar que voce tenha voltado no tempo, quando ainda era apenas um bebe recém nascido. Então, vamos pensar que seus pais resolveram fazer um experimento radical, anti-ético e de longo prazo com voce, colocando-o dentro de uma jaula para ser criado por macacos.

O que voce acha que aconteceria dentro de 10 anos**

Primeiramente, o óbvio, voce não desenvolveria qualquer linguagem remotamente humana e se comunicaria por sinais, grunhidos, enfim, linguagem não-verbal. Eh provável que tivesse dificuldade para ficar ereto, tal como um ser humano típico.

Mas e em relação a auto consciencia***

 

Será que os seres humanos  mais autoconscientes saberiam que não são parentes dos macacos por simples observação comparativa**

Eu acredito que sim, ainda que este entendimento não se baseasse em qualquer forma sofisticada de compreensão, pois se daria com base na simples comparação e na sensação interior, intrínseca, de individualidade, de ser ou estar a parte dos outros, independente de qual identidade biológica que estes outros tivessem. Eu posso estar errado e todos ou a imensa maioria dos seres humanos, se criados separados dos outros de sua espécie, passarão a se comportar exatamente como os animais não-humanos que tem convivido e a ideia de ”identidade comportamental humana” passaria a ser vista como uma ”construção social”.

 

Nós ”somos”…

Eu sou o universo que está aprisionado em meu breve corpo,

Eu sou a experiencia de algo maior, eu sou e tudo aquilo que vive também é,

Eu sou a essencia daquilo que paira no ar, que faz uma folha voar bailante até o solo,

Eu sou o vento errante que assopra a vida em minha armadura desmanchável, mesmo que tudo também esteja impregnado de sua divina glória, ,

Eu sou o raio que produziu a energia de uma primata auto-iludido, Eu sou os dois e sou tudo aquilo que me rodeia,

Eu sou o positivo e negativo, eu sou um baile de máscaras, de tristezas e de alegrias,

Eu estou a procura de um significado, mas ele está dentro de mim,

Eu quero a resposta para a origem da vida, de tudo, do todo, mas eu sei de minha eletricidade que atormenta o silencio misterioso,

Eu sou Deus a procura de Deus,

Eu sou o cachorro que morde o próprio rabo,

Eu sou a sincronicidade perturbada pela noite escura lá fora,

Eu sou o irmão legítimo das estrelas,

E eu sempre serei, porque enquanto vivo, eu também morto, aos braços de Deus, aos braços do vento de matéria que nos empurra para o infinito,

Pois minha ”caixa preta” nunca morre….

O mundo artificial e formal dos conservadores

Agora, se a frase é dele ou não, eu já não sei, e não vou procurar, kkkkk

Em um mundo racional e lógico, não haveria qualquer empecilho para negar o direito natural de duas pessoas de se unirem em matrimonio, na igreja, no cartório ou mesmo de maneira não-oficial.

Eu ainda estou tentando entender o porque de tantos conservadores serem contrários ao casamento homossexual. Ok, eu sei que o percentual (por agora) de pessoas do mesmo sexo que se casarão será ínfimo, que muitos destes casamentos terminarão antes mesmo de começar (suposições é claro), que a maioria dos homossexuais, especialmente os homens, não irão se casar. Mas e daí** Ainda que a maioria deles não o faça ou o faça de maneira efemera, uma minoria será beneficiada. Isso é ruim**

Outra coisa que me deixa intrigado é a insistencia conservadora em argumentar que ‘‘se o casamento homossexual for legalizado, a família tradicional brasileira será eliminada”. Onde está a lógica nisso***

Eu pensei, ”quando o casamento gay for legalizado, a maioria dos heterossexuais se tornarão homossexuais, da noite pra dia e não mais constituirão famílias tradicionais”.

Quer dizer, os conservadores são tão culturalmente maleáveis que se aceitarem o casamento homossexual, se tornarão vulneráveis a se tornarem gays também** Eh isso que eu estou entendendo**

Eles se utilizam destes argumentos tolos para criticar a possibilidade de algumas pessoas fazerem as suas escolhas domésticas (de casal) sem a interferencia de ninguém, algo que já deveria ser normal desde os tempos de um tal Jesus…

Eu já falei aqui também sobre as críticas comuns que muitos carnívoros, que são de conservadores, adoram fazer em relação ao vegetarianismo.

Certa vez, inclusive, eu vi em algum twitter hbd, o compartilhamento de uma reportagem falando que a dieta vegetariana pode causar depressão e ansiedade nos seres humanos. Ah vá!! Os tais hbds que tanto falam para não confundirmos correlação com causalidade, não parecem se preocupar com o mesmo detalhe quando espalham as suas verdades absolutas. O tal viés cognitivo.

A frase acima, se foi proferida pelo pensador acima ou não, não interessa, mas que caiu com uma luva em relação ao conservadorismo, isso é fato.

O vegetarianismo abre a possibilidade de

– melhorarmos nossa alimentação e portanto saúde,

– reduzir o risco de propagação de doenças infecciosas,

– mas o principal, mitigar ao máximo possível o sofrimento desnecessário de animais não-humanos!!!

Eu não estou preocupado se existe céu, purgatório ou inferno, mas eu sei que eu posso infringir o céu, o purgatório ou o inferno a outros seres em vida. Isso é empatia!! E eu tenho a impressão de que os conservadores estão parcialmente desprovidos disso.

Sim, este site e este santo que vos escreve não é tonto do tipo que acredita nas boas intenções de CEOS judeus e suas redes sociais, ao propagarem bandeirolas arco íris como a nova moda da bondade (ainda que muitas pessoas boas o tenham feito). Eu não vejo o mundo de acordo com as duas perspectivas dualistas principais, ambas falsas, de segundas intenções e ambíguas. Como eu tenho falando aqui, a verdade se encontra espalhada, em todos os lugares voce irá encontrar algum naco de verdade (racionalidade empática e holística ou contextual), seja no próprio conservadorismo, seja na homossexualidade, enfim, em qualquer lugar, se pode separar os melhores feijões, as melhores respostas, basta ter atenção e sabedoria para faze-lo.

Em um de meus primeiros textos sobre o conservadorismo, eu comentei sobre o conservadorismo tal como um jogo de telequete, em que as pessoas devem se posicionar a partir de suas posições naturais. Eh um mundo sem criatividade, sem evolução, porque se consiste na conservação. O conservador sempre vai tentar conservar, porque a segurança se encontra naquilo que é velho e fácil de entender. Ideias novas são sempre difíceis de serem entendidas, especial e paradoxalmente, as ideias boas, que são oriundas da moralidade objetiva.

Pela lógica, um indivíduo qualquer deveria pensar

Se eu não sou ”homossexual”

Por que que eu estou metendo o bedelho na conversa alheia***

O mundo não vai acabar se duas pessoas que se amam resolverem oficializar a sua união. E voce que é empático, racional, inteligente…. e que não é homossexual, não deveria estar preocupado com isso.

Isso nos remete ao nacionalismo branco, a dogmalogia em que a ”raça branca” é maravilhosa e o resto da humanidade é lixo, profundo olhar dualista.

Eles criticam o mundo inteiro, mas no mundo das ações, não fazem nada!!!

O problema não é apenas criticar, é fazer críticas contraproducentes e que não são objetivas.

Se os brancos nacionalistas tivessem resolvido procriar em massa desde os anos 70, é provável que já tivessem construído uma boa plataforma política e transcendental…. mas pra que***

Pra fazer os mesmos argumentos insossos, irracionais e anti-empáticos que os seus primos mais moderados fazem***

Um mundo de formalidades, preto e branco, com a pseudo empatia que a pseudo religião lhe ensinou.. onde se reza para um Deus inexistente e assassino e faz o verdadeiro mal com pessoas reais…

O conservador, que deixa de ser seu amigo se voce perder todo o seu dinheiro e ficar pobre da noite pro dia, que fala mal de suas ações ”desviantes”, enfim, um paquiderme (em média é claro) que acusa o esquerdista de não ter empatia, enquanto que neste quesito, é mais provável que o primeiro a tenha ao nível retardado de desenvolvimento.

No passado perfeito dos conservadores, não existia o tal ”racismo” ou ”homofobia”, ele dizem… isso é papo de esquerdista.

Vejam que eu não estou falando mal ou a verdade de um, pensando em me aliar ao outro, mas a minha mente hiper racional não pode aceitar essas contradições… eu sou um solucionador de problemas e contradições são problemas, são  manchas que distorcem a realidade.

Como não ser um psicólogo retardado…

Psicólogos, em média, parecem que tem fobia de ”desordens mentais”…

Um belo dia, enquanto eu estava lendo os comentários na comunidade aspie Wrong Planet, me deparei com um depoimento revoltante de um dos comentaristas. Ela ou ele, disse que durante a sua consulta no psicólogo, o mesmo lhe disse mais ou menos desta forma

”Voce se parece com um computador. Nós não dizemos que  computadores são inteligentes não é**”

Imagine que voce é pai ou mãe de uma criança ou adolescente asperger e que seu filho em um belo dia de outono, chegue pra voce e repita aquilo que o psicólogo lhe disse. Se eu fosse o pai, ficaria revoltado. O meu filho foi chamado de burro e comparado a um computador, a uma máquina. Ele foi desumanizado.

O psicólogo sabichão e demente que fez este desfavor com a pobre da criança (ou adolescente), no entanto, parece ter cometido mais gafes além da principal, de ter ofendido o seu paciente de maneira tão fria, visto que não é verdade que os computadores não sejam inteligentes e nem que um autista, especialmente aquele que for de alto funcionamento, ”seja como um computador”.

Primeiramente, os computadores são a manipulação, o retorcimento sofisticado de matéria inanimada. As comparações descarteanas entre o ser humano e a máquina (para ”provar” a inexistencia de Deus) já foram longe demais. Nenhum ser humano ou ser vivo será igual a um computador porque o primeiro é feito de matéria organica e o segundo não. Eh quase o mesmo que comparar uma pessoa alta e magra com um cano de encanamento. E este exemplo que parece ter sido verídico, o depoimento desta pessoa,  é ainda pior porque não se baseia apenas na ofensa descompromissada, de reles chacota, mas no sentido de forçar a pessoa a se ver como ”alguém que age como um computador”, que não age como um ser humano.

Segundo que a incapacidade de um psicólogo para reconhecer a inteligencia natural que flui de boa parte da população autista, especialmente os de alto funcionamento, é um sinal de ignorancia na própria ciencia que tentou se especializar.

Inteligencia é complexa porque é diversificada, mas a grande maioria dos autistas são muito inteligentes em relação as suas áreas naturais de super especialização e nenhum teste cognitivo generalista ou ”impressão pessoal” serão capazes de mudar esta realidade.

Terceiro que se os computadores não são inteligentes então por que nos tornamos dependentes deles e os usamos para encontrar respostas ou para traduzir algum idioma*** Eu acesso uma máquina estúpida para deixar de ser tão estúpido, deveria pensar o demente da ”saúde mental”. Alguns destes profissionais é que merecem acompanhamento psicológico.

Mais uma vítima destas bestas humanas (obviamente que não estou querendo dizer que TODOS os psicólogos sejam assim, mas eu suspeito que a porcentagem de retardados mentais não seja demograficamente sutil).

Auto diagnóstico para a monomania

Eu adoro  rotina…

Alguns dias atrás eu estava mexendo no meu celular quando de repente ele parou de funcionar. Além deste fator, também me foi comunicado quanto a uma possível mudança de rotina em minha vida (que mais tarde foi anunciado que não mais aconteceria). A possibilidade de mudança radical em relação aquilo que eu havia me acostumado a fazer me causou um baque e eu entrei em leve parafuso. O desespero bateu em minha porta e eu pude dizer ”meu mundo caiu” sem me preocupar em ser brega ou copiador de frases alheias. De fato, aquele pequeno período do meu dia, quer dizer, da noite, foi angustiante e me fez repensar toda a minha vida. Uma bobagem para a maioria, mas que caiu como uma bomba pra mim. Eu já suspeitava mas nada como a sensação real, verdadeira, legítima, para que voce caia em si e perceba que não é apenas uma suspeita. Eu sou monomaníaco.

Eu adoro rotina e me acostumo a elas, também ou fundamentalmente porque eu tenho tendencia a vícios.

A monomania é uma característica comum encontrada em alguns grupos tais como

– autistas

– genios

A explicação lógica da monomania pode se dar com base no excesso de informações ambientais e a tendencia super especialista de minha mente para se entreter com os meus ”poucos” interesses ou hobbies. Uma mente com gravidade pesada, nos fará menos enérgicos em um sentido físico e portanto menos apto para labutar todo dia, das 7 as 17 horas, andar a cidade toda, fazer um monte de atividades triviais. Para quem tem uma cabeça mais vazia ou menos congestionada, agirá mais e com mais afinco do que aquela que tem um transito paulistano de ideias, percepções e pensamentos pulando dentro da cabeça.

E eu posso ser monomaníaco e também ser aberto a novas experiencias, desde que aconteçam dentro do contexto de minha rotina.

 

Imaginação internalizada= criatividade, imaginação externalizada= esquizofrenia, novos pensamentos sobre introversão e extroversão e o perfil raro de personalidade do genio

Eu posso criar imagens das mais diversas naturezas dentro da minha mente. Entrevistas, filmes, personagens, paisagens. Eu também posso simular sons que não estão ”acontecendo” no mundo real, como acompanhamento para a imaginação.

A minha imaginação é interior e raramente se mistura com a realidade lá fora. E quando acontece, geralmente me causa grande medo. Sim, o santo racional aqui que vos fala, tem medo de fantasmas. E eu já banquei o sadomasoquista mental umas duas vezes ao ver uma série de supostas fotos de ”fantasmas” pelo celular ou computador, meia hora antes de ir dormir.

A minha mente super lógica entende que apesar da pouca fiabilidade dessas fotos, elas parecem ser muito realistas. Claro que além desta lógica potencialmente equivocada, os argumentos igualmente lógicos para provar qualquer veracidade das mesmas, me fazem acreditar que o copo está ”mais” meio cheio do que meio vazio.

Em compensação, a imaginação de uma pessoa com esquizofrenia, faz-se de maneira completamente diferente porque é involuntária e porque se faz de fora do ”campo interno de visualização da mente”.

Se o esquizofrenico pode ver uma pessoa que não existe e ainda pode conversar com ela, então apesar do stress mental devastador que esta insegurança costuma provocar, isso significa que a sua capacidade imaginativa estará excessivamente bem desenvolvida e se encaixa perfeitamente com a minha ideia de ”genética-estirão”.

Portanto, a criatividade imaginativa seria como a imaginação internalizada enquanto que a esquizofrenia poderia ser caracterizada como  uma espécie de imaginação externalizada e involuntária, por se dar sem qualquer controle e por se misturar ao mundo real, de fora de nossas mentes. O mundo de padrões acumulativamente reconhecíveis e lógicos (especialmente do tipo simples ou verdade objetiva).

Da mesma maneira que a minha mente me engana quanto a possibilidade de existirem fantasmas (ainda que não se possa considerar o assunto como que por terminado = quem ve fantasmas é ”doido”) justamente por usar a racionalidade, o mesmo acontece com o esquizofrenico, porque a sua imaginação ou ao menos, os mecanismos triviais que a produzem, não estão bem organizados em suas mentes, resultando na confusão entre a fantasia ou imaginação e o mundo real, o simples ato de analisar o ambiente ”de fora da mente”.

Internalizamos aquilo que é real pra nós porque faz parte de nossa identidade.

Não existe introversão nem extroversão, mas a mesma ”energia” ou fenomeno, só que no primeiro, ela  está internalizada e no segundo ela está externalizada. Mais= o genio  seria a ”extroversão” internalizada, dupla personalidade invertida. 

Os mais inteligentes são mais propensos a serem de introvertidos, por causa de suas naturais tendencias de construção de mundos imaginários, idealistas, dentro de suas mentes e vivencia cotidiana destas tendencias, que entram em choque com o mundo exterior. Cérebros mais capacitados são mais independentes na produção de alegorias metafóricas ou racionalizadas a partir de suas interações com o meio e consequente internalização destas construções do que os demais.

O introvertido tem a mesma energia (instinto**) que o extrovertido (ou predominantemente extrovertido), só que esta energia se encontra internalizada no primeiro e externalizada no segundo.

Portanto, pode-se dizer que a introversão seja uma espécie de instinto internalizado enquanto que a extroversão pode ser considerada como instinto externalizado. Os níveis mais altos de extroversão podem ser encontrados entre os tipos psicopáticos enquanto que os níveis mais concentrados de introversão podem ser encontrados entre os tipos opostos dos psicopatas, os sábios introspectivos (… mas que não serão de genios).

Por que o genio é tão raro**

Porque o genio se caracterizaria por ter um padrão invertido, extremamente incomum de personalidade onde que ao invés da introversão, seria a  extroversão que estaria predominante, e internalizada. Existe tal coisa como um extrovertido ”internalizado” (ou introspectivo) e um introvertido ”externalizado”*** Pois parece que sim, ainda seja provável de ser muito raro.

A maioria dos introvertidos apresentam pouca vontade de socialização, são menos narcisistas, ainda que sejam mais autocentrados, mediante certas perspectivas. O extrovertido ou o homem da ação, o introvertido ou o ”homem” da reflexão. E o genio**

O homem da ação reflexiva. A grande maioria dos extrovertidos reagem de maneira predominantemente irreflexiva porque o mundo da ação e da reação ou da socialização, é o seu mundo por primazia e eles atuam de maneira natural (inconsciente) dentro dele.

A grande maioria dos (predominantemente) introvertidos reagem de maneira predominantemente reflexiva e apesar de necessitarem agir para sobreviver neste mundo, eles tenderão a refletir mais o seu pensamento antes de tomar ações. E suas reflexões serão mais propensas a serem inconscientes, porque são naturais pra eles.

Apesar de seu universo interior mais rico, o introvertido guarda mais do que compartilha, em um sentido de pensamentos, ideias… Em compensação, o genio agiria como um extrovertido internalizado, que sente uma profunda necessidade de se auto expressar, mas que não se dará de maneira natural ou inconsciente, mas a partir de uma perspectiva introvertida. Outra prova para explicar o porque do genio ser mais como um extrovertido internalizado do que um introvertido típico, seria por causa de suas características psicológicas como o extremo narcisismo, que é um traço muito mais comum em extrovertidos. Genios são mais ”infantis”, espirituosos, vívidos, de personalidade muitas vezes difícil, dominante, manipuladora, complexa, que não se assemelha muito aos perfis clássicos de introvertidos.

Deve ser por isso que alguns filósofos, escritores e mesmo, alguns da ciencia, acreditam que o genio seja o único homem  completo de nossa espécie. Porque enquanto que quase todas as variedades psicológicas humanas acabam caindo em algum extremo do espectro, o homem de genio se encontraria exatamente no meio deste espectro, seria o homem dualista por natureza e não aquele que é movido por ela para um de seus extremos.

Os bondosos são bondosos demais, os maldosos são maldosos demais, o genio ao contrário da ideia de ”mais” enquanto intelecto e criatividade, na verdade, seria mais equilibrado, que necessariamente não quer indicar qualquer valor quantitativo vertical. Mas talvez esta ideia de equilíbrio não sirva para todos eles, visto que parece haver uma grande variedade e que esta natureza possa se encaixar apenas para os tipos ”sábios” (o savant social, o sábio prodígio).

O ser humano não é apenas a sua biologia, mas também é a sua interação com o meio…. e Intelecto e idade mental

Confundem-se fatores genéticos com fatores ambientais. Fatores ambientais como o próprio nome diz, são fatores circunstanciais, o conjunto de fatores que interagimos, sofrendo ação ou reação, de curto a longo prazo. As intempéries que estão ”fora de nossos corpos”. Os fatores ambientais se dividem em

– fatores ambientais puros ou meramente circunstanciais

– fatores ambientais biológicos

Os fatores ambientais biológicos se relacionam com a interação direta com nossas biologias, como ”bater a cabeça e sofrer uma injúria cerebral”, engordar, entrar em depressão depois de sucessivos eventos extremamente negativos e possivelmente a epigenética que se manifesta durante a gravidez, ainda que eu duvide que tenha um grande papel na modificação dos organismos e acredite que mediante uma tendencia geral de padrões ou padrões mundiais (por exemplo, síndrome de Down pode se manifestar em todas as raças humanas), os ”defeitos” de todas as ordens e níveis também possam ser diretamente herdados.

Portanto, a técnica de interação ou cultura neurológica, a combinação constante entre a sua biologia e a reação a ação sofrida por meio da interação com as múltiplas variáveis de nosso cotidiano, também são fatores substancialmente importantes que tem efeitos consideráveis em nossas vidas.

Fatores ambientais + predisposição genética (e ou biológica) = técnica de interação.

O produto é tão importante quanto os elementos que o produziram.

 

Intelecto e idade mental

 

A capacidade de pensar de forma lógica.

Uma pessoa muito inteligente: uma pessoa cujo intelecto é bem desenvolvido. (dicionário Merriam Webster)

Segundo este texto da Psychological Today, o intelecto seria a capacidade de identificar e analisar, memorizar, e categorizar … as características físicas e as implicações de qualquer coisa ou evento é percebido pelos sentidos, trazendo assim um de compreender os fatos objetivos do: processos mentais racionais que constituem “saber” a situação externa.

No entanto, o autor está usando a definição de ”cognição” para  o ”intelecto”.

Eu redefini, possivelmente com a ajuda daquele comentarista do site The Phora que a cognição se consistiria no ato instintivo de auto-conservação em relação ao fenomeno ação e reação. Todos os seres vivos são cognitivamente inteligentes, mas apenas o ser humano que é intelectualmente inteligente.

O mesmo texto define inteligencia  como uma faculdade mental em seu próprio direito em uma função da consciência, tomar um além dos fatos, como tal, para sugerir significado ou propósito, e determinar o curso de ação a ser tomada.

A minha definição para intelecto não é a mesma que a de cognição, porque o intelecto se basearia na personalidade inteligente, na capacidade de aplicar a cognição de maneira racional, sob os mais diversos angulos ou perspectivas, assim como também de níveis.

Apenas por esta definição, eu já posso pensar na ideia de que o intelecto possa se relacionar com idade mental.

Outra definição recorrente para o intelecto (que se baseia no famoso big five) entra em leve conflito com a minha definição por  basear-se na ideia de que o mesmo se refira a capacidade de pensamento abstrato, imaginação ou criatividade e abertura para experiencias.

Talvez, nós possamos entender o intelecto como um conceito multidimensional que não precisa ser aplicado ou entendido apenas de uma maneira. O intelecto seria a inteligencia per si, porque não é apenas uma cognição reativa, mas também reflexiva, investigativa, ”experienciativa”… enfim, o alargamento do tempo de reação que por puro instinto se baseará apenas na resposta a ação (defensiva-agressiva).

Se o intelecto é a capacidade de manipular a cognição e se quanto menos instintiva forem nossas respostas, mais moderadas e sábias elas serão, então o mesmo, talvez, possa ser relacionado com a idade mental ou caráter, mediante esta perspectiva, obviamente.

Alguém com elevada idade mental caminhará para ter também um elevado intelecto, porque terá a destreza de manipular as suas respostas reativas em relação as intempéries ambientais, das mais diversas maneiras (criatividade prática ou ”sobrevivenciabilidade”) e não apenas por meio de instinto puro e seco.

Os universos também passam por evolução, seleção natural. Os universos mais equilibrados se expandem em espaço e vigor, os menos equilibrados desaparecem.

Os universos se expandem e se retraem como uma bola de chicleet…

e passam também por seleção natural onde que nem todos os universos se conservarão pela ”eternidade”, somente os mais equilibrados. (me chame de louco por favor!!)

De onde vieram os elementos que compõe o universo, nosso planeta e a nós mesmos**

E quem ou o ”que” assoprou a bola de chiclete primordial*** E será que o ar que enche a bola de chiclete também não poderia existir enquanto uma energia primordial que sustenta a harmonia ou não dos universos**

Como já sabem, eu acredito que antes não havia nada porque o nada é perfeito, não precisa evoluir, não precisa crescer ou morrer. ”O nada absoluto”, no entanto, é uma ”coisa”, um algo… O nada absoluto era a perfeição (e talvez continue sendo). Então, dois elementos que geralmente estão em harmonia no nada absoluto saem de seu padrão ideal e entram em atrito, produzindo a expansão da matéria, como a metástase de um cancer. A imperfeição dos universos ou matérias e a necessidade do movimento de evolução, contração, destruição ou sei lá o que mais, representaria esta constante tentativa de harmonizar o ying e o yang.

Carinho bestial

Meu amor de quatro patas, Minha gata, minha felina,
Linda em suas cores, pomposa em sua pose e elegância, minha filha do existir,
Que me entende tão bem mesmo sem me entender, que me ama mesmo sem saber o significado desta ação,
Teus olhos onde vive o mais aguerrido Verde, de teu carinho essencial, se tornou bestial, pra sempre,
Porque quem nunca se esquece, sempre agradece,
Amadurece em cada batalha perceptiva,
Acalenta meus anos de labuta, abraça-me e me ajuda a entender todo este caos,
Todo este mundo de escrúpulos inescrupulosos,
Que com sua sabedoria de puro instinto, ainda aquecido, adocique a minha matéria deliciosamente preguiçosa,
Que sejamos gatos e gratos em todas as outras vidas.

Lembranças de um passado não tão distante

Aah, aquelas tardes de Sol a pino, de outono seco, em que nos reuníamos para celebrar nossas nobres condições de jovens, daqueles que tropeçam nas próprias pernas, que ainda eram as crianças de cronos, que ainda chamuscavam idealismo insosso, aquelas árvores secas pelo clima de frio perene e sol implacável,
Aquele abraço ao luar em que sentíamos o próprio suor do corpo que recebeu todo o calor seco da tarde,
Aquelas lembranças, que quanto mais eu lembro, mais distantes ficam,
Do céu sem nuvens, que a atmosfera ainda era respirável, que a inocência ainda era confiável,

Aquele mundo de inseguranças sociais e de segurança existencial, aquele raso lago de razão, aquela nuvem cinza e carregada de orgulho, de descobertas, de indecência pré-compreendida, de baixa auto estima, de ser o adolescente consciente, o escritor que não tem obras literárias, o narrador que fala pra si aquilo que viveu, o breu da parcial ignorância,

Belas tardes em que a pequena cidade mais parecia uma montanha enorme e quase impenetrável,
A mesma inquietude preguiçosa, só que sentida sem qualquer análise,

O pequeno despertar, as pequenas conversas, as pequenas vitórias, um mundo que ficou pelo tempo, que o tempo carregou,

As pessoas que não mais se encontram, que não mais são as mesmas pessoas,

Os navegantes de um imenso e misterioso oceano chamado vida,
E ainda somos tão caprichosos com aquela gotícula que fez eco em um passado não tão distante,
Deve ser porque a sonoridade de seu estrebuchar no grande mar, soou tão bom, tão perfeito, tão eterno,

Como a bela música que nunca morre, porque a beleza sempre se reinventa mesmo sendo a mesma,

Não há como não ama-lo e chorar por sua morte serena,
Porque toda lembrança, toda saudade, é o lamento prolongado e sem fim de uma felicidade que ficou, seja ela, humana, animal ou experiencial…

De:RefémdoDrDeus Para:Deprimente mundo Assunto:Denúncia de maus-tratos a pensadores

...e Deus criou a Ângela,desapontado com a nossa Eva.Apresento-vos o meu "disco rígido" ...

renanbarreto88

Just another WordPress.com site

Castro456's Blog

O medo do nada

Delusions of Adequacy

And You Thought You Might Have Had Delusions of Grandeur

PARTO DE IDÉIAS

"Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância." Sócrates.

Pshelinha

Um pouco de mim..

Pensar Novo

"Saber que você precisa mudar não é suficiente. Você precisa ter a coragem de fazer esta mudança." Robert Kyosaki

Mind Hacks

Neuroscience and psychology news and views.

Inside Perspectives

of Asperger Syndrome and the Neurodiversity Spectrum

Agoraphobia Subliminal Hypnosis

Come out of the woods, the dark, come into the light. As a recovered agoraphobic, I've designed these audios over many years in order to help you. Charles K. Bunch, Ph.D.

Antimidia

Textos sem sentido, para leituras sem atenção, direcionados às pessoas sem nada para fazer.