Maior incidência de personalidades extremas em filhos de casais de diferentes raças em países desenvolvidos. Correlação ou causalidade??

Filhos de casais mistos (especialmente em países ocidentais de primeiro mundo) estão em maior ‘risco’ (risco que é relativo) de nascerem com déficit de atenção/ hiperatividade e autismo. Parece que existe uma relação entre autismo e mistura racial assim como também com TDAH. No entanto, esta relação parece ser mais uma particularidade endêmica apenas em nações ocidentais de primeiro mundo com uma boa proporção de imigrantes estrangeiros do que um padrão universal. Se realmente houvesse uma relação causal direta entre a ocorrência de personalidades extremas e miscigenação racial, então o Brasil, por exemplo, seria um dos países com a maior incidência de ”transtornos mentais’ em todo mundo. Mas isso não acontece. Portanto, a miscigenação racial sozinha, não é o único fator responsável por esta correlação indiretamente causal. Então o que poderia ser??

 

Aventureiros, nerds, Dopamina e mulheres promíscuas que buscam por novidade

Nerds (proto-autistas) casam com asiáticas e mulheres Tdah-stylish casam ”com qualquer um”.

Imigrantes ou ”nômades modernos”, tendem a apresentar uma série de características comportamentais que se destoam da população sedentária de seus respectivos países. Uma possível e cada vez mais popular explicação para esta diferença pode ser encontrada na presença ou manifestação do polimorfismo da dopamina, especificamente do receptor DRD4. O DRD4 parece se relacionar consideravelmente com as migrações humanas que segundo a teoria ”fora da África”, contribuíram para o povoamento por nossa espécie em quase todos os continentes do planeta pelo menos até a época de Cristóvão Colombo.

Esta maior expressão individual pode exercer uma grande influência no comportamento dos seres humanos, produzindo ansiedade para conhecer novas regiões (busca por novidades e sensações). Também se sabe que este polimorfismo também se relaciona com a manifestação da TDAH. Portanto, a primeira metade do quebra-cabeças já parece ter sido montado. Imigrantes são muito mais propensos a terem este tipo de expressão dos genes dopaminérgicos, isto é, que induzem a determinados tipos de comportamento, dentre eles ”a busca pela novidade”. Portanto, eles são potenciais portadores de bio-condições que quando combinadas com pares iguais (isto é, com o cônjuge nativo exibindo similar bio-condição intensamente dopaminérgica) tenderão a represar as mesmas predisposições dos dois lados de acasalamento, aumentando o risco de combinação genética do pai e da mãe na produção de uma criança com TDAH (E vale ressaltar que as ”personalidades extremas” tendem a se sobreporem, portanto, além do risco para TDAH, os casais interraciais naturalmente dopaminérgicos, também terão maior risco de terem filhos com esquizofrenia, autismo ou transtorno bipolar).

A outra metade do quebra-cabeças se encontra justamente nos pares nativos de acasalamento, ou seja, as populações locais que estão em ‘maior risco’ de se engajarem em um relacionamento interracial (busca por novidades). Esta população ”de risco”, muito provavelmente, também apresentará predisposições iguais para a panaceia de comportamentos que se relacionam a uma ”personalidade dopaminérgica”, isto é, enérgica e que está sempre em busca de novas sensações e/ou por novidades. Por lógica, é consideravelmente mais desafiador iniciar um relacionamento com uma pessoa de outra nacionalidade ou que ”pertença” a outra raça. Portanto, as pessoas (brancas mas também de qualquer outra raça) que são mais comuns de se relacionarem com um estrangeiro ou de outro grupo racial, tenderão a serem mais propensas para este tipo de ”expressão mais alargada da dopamina”. O casal multirracial do Ocidente moderno (e pós-moderno) tem maiores riscos para ter uma criança com personalidades extremas mas também para se separarem.

 

Apenas TDAH?? O fenômeno do homem excedente

 

Os ”genes” das neurodiversidades tendem a se sobreporem como eu disse acima. Como resultado, em famílias com histórico de TDAH, poderá ocorrer também a manifestação de outras condições como o transtorno bipolar, personalidades neurominoritárias não-extremas como ”personalidade esquizotípica” ou personalidade ciclotímica”, psicopatia, autismo, etc…

O aumento dos casos de autismo no mundo ocidental e especialmente nos países ricos, pode se relacionar também com o aumento da miscigenação racial e intrarracial, isto é, de etnias que estão dentro do mesmo tronco racial. O aumento da imigração aliviou a ansiedade da  população excedente de homens brancos (principalmente)  em busca de parceiras (e parceiros, sic!). Como resultado, mais homens brancos, que são costumeiramente rejeitados por mulheres brancas, tem se casado com mulheres estrangeiras e/ou de outras raças, especialmente as asiáticas. É até interessante pensar que, se as nações da Ásia Oriental, são as ”pátrias dos nerds”, então as mulheres desta região podem ser mais propensas para apresentarem estilos de personalidades que são mais compatíveis com os estilos comportamentais dos homens brancos ”nerds”, que são proto-autistas por excelência.

Eu ainda proponho que com relação às taxas de divórcio e infidelidade entre os casais interraciais no mundo ocidental, os casais de brancos (na maioria das vezes de nerds, pelo que parece) com asiáticas, tenderão a apresentar menores índices de divórcio e infidelidade (iguais ou menores que os casais monorraciais de brancos), enquanto que nas outras combinações de acasalamento interracial, terão maiores índices de divórcio e infidelidade.

Portanto, segundo a minha hipótese, que também já foi paralelamente (e parcialmente) desenvolvida por outras pessoas, a correlação entre miscigenação racial e personalidades extremas, é indiretamente causal, porque é um fenômeno específico que depende de determinadas predisposições para que possa se manifestar, como por exemplo:

Similaridades neurobiológicas, ou seja, pares de acasalamento de diferentes raças ‘ou’ etnias com as mesmas predisposições genéticas, aumentando as chances de manifestação de personalidades extremas. (Na verdade, o processo de manifestação homozigota das personalidades extremas parte do mesmo princípio em casais monorraciais)

A miscigenação per si, não é diretamente responsável pela manifestação de transtornos mentais (dentre toda a panaceia de combinações neurominoritárias não-extremas), mas pode provocar o aumento dos ”casos” por causa das predisposições bio-comportamentais das pessoas que são mais propensas a se envolverem em casamentos mistos, tais como, aqueles que estão em busca por sensações (e muito provavelmente são portadores heterozigotos da TDAH) e pela população nativa que tende ”a ser rejeitada” dentro do mercado local ou nativo de acasalamento.

No entanto, ”típicos nerds” ou ”proto-autistas”, também são menos tribalistas e portanto, tendem a estarem mais dispostos a relacionamentos interraciais. Autistas tem o hábito de construírem súbitas interações com pessoas estranhas e também são mais propensos a serem menos tribalistas. Portanto, o fator ”rejeição do mercado interno ou nativo de acasalamento” aparece como um potencial gatilho ambiental para o engajamento de ”proto-autistas” em relacionamentos interraciais, combinado com as predisposições neuro-culturais deste grupo, que tenderão a ser menos tribalistas do que por exemplo, de homens brancos conservadores.

Especialmente para o caso da TDAH, os imigrantes são mais propensos a carregarem a expressão dopaminérgica que se relaciona com ”busca por sensações” e isso por si só contribui para explicar o porquê de serem mais propensos a migrarem de suas terras ancestrais para outras regiões. E são mais propensos a se casarem com os dopaminérgicos nativos, dos países para onde imigraram, que também são mais engajados (ou tem menos limitações) para desenvolver relacionamentos com pessoas de diferentes origens.

Anúncios

Tags:, , ,

About santoculto

Email ataudecinzento@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

De:RefémdoDrDeus Para:Deprimente mundo Assunto:Denúncia de maus-tratos a pensadores

...e Deus criou a Ângela,desapontado com a nossa Eva.Apresento-vos o meu "disco rígido" ...

renanbarreto88

Just another WordPress.com site

Castro456's Blog

O medo do nada

Delusions of Adequacy

And You Thought You Might Have Had Delusions of Grandeur

PARTO DE IDÉIAS

"Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância." Sócrates.

Pshelinha

Um pouco de mim..

Pensar Novo

"Saber que você precisa mudar não é suficiente. Você precisa ter a coragem de fazer esta mudança." Robert Kyosaki

Mind Hacks

Neuroscience and psychology news and views.

Inside Perspectives

of Asperger Syndrome and the Neurodiversity Spectrum

Agoraphobia Subliminal Hypnosis

Come out of the woods, the dark, come into the light. As a recovered agoraphobic, I've designed these audios over many years in order to help you. Charles K. Bunch, Ph.D.

Antimidia

Textos sem sentido, para leituras sem atenção, direcionados às pessoas sem nada para fazer.

%d blogueiros gostam disto: