Mente prática versus mente pragmática

Eu disse em um texto recente que eu tenho uma mente prática. Isto quer dizer, eu guardo informações relevantes OU a minha mente é relativamente boa para encontrar a resposta de qualquer assunto que eu tenha visto, entendido e gostado. Isso é conhecimento, mas nem sempre. A maioria das pessoas, sim, eu sempre vou usar estes termos porque não tem como ser diferente, a maioria das pessoas fazem quase que exatamente o mesmo que eu, no entanto, não costumam ser perspicazes. Eu já havia pensado no que a perspicácia poderia ser, como poderia ser medida em um hipotético estudo dentro da psicologia etc…

No entanto, eu também tenho comentado sobre a mente pragmática, que é uma tendência ancestral entre os leste asiáticos. Pragmatismo e praticidade não são exatamente a mesma coisa. 

Assim como pouco se fala na sabedoria dentro das ciências humanas, a não ser na filosofia e sem um rosto científico, também pouco se fala ou se investiga sobre a perspicácia. Enquanto que a sabedoria seria um conjunto de traços cognitivos que em harmonia, produzem uma mente extremamente analítica e ao mesmo tempo holística, a perspicácia seria não necessariamente um fenótipo cognitivo-psicológico e mais como um traço, que pode ser encontrado em qualquer tipo de personalidade. A perspicácia é uma mini-sabedoria, uma sabedoria dentro de outra, que no entanto, pode ser encontrado em qualquer tipo. A diferenciação entre perspicácia e sabedoria é que a segunda necessita de um modelo de perfil psicológico ao invés de apenas um traço. Um psicopata pode ser um sábio, mas isso será em partes, mediante as múltiplas perspectivas, em uma delas podemos afirmar que ambos possam coabitar no mesmo indivíduo, no entanto, em outras perspectivas, psicopatia e sabedoria serão mutuamente excludentes. Como resolver este paradoxo*

Simples, aceitar que em diferentes perspectivas, em diferentes nuances, os indivíduos com este transtorno de personalidade podem ter atributos derivados da sabedoria, assim como também os sábios terão mais traços psicopáticos mas que, enquanto um perfil cognitivo e psicológico aqui sugerido, a sabedoria será o exato oposto da psicopatia. Como eu tenho falado sempre, os extremos costumam ser muito parecidos.

A perspicácia é a capacidade de ”ler nas entre-linhas”, de entender o contexto, de fato, de encontrar minúcias que a maioria das pessoas, novamente, não são capazes de fazer. Muitos pseudo-intelectuais ADORAM a palavra ”contexto”, mas muitas vezes não saberão encontrá-lo. Eu adoro inventar coisas, mas no mundo da realidade, você não pode ser um criador se almeja veracidade em algum trabalho que busca se identificar com o mundo real.

A perspicácia é quase que intuitiva e dificilmente poderá ser aprendida. Ao menos, pode-se mostrar como se dá o processo de captura de minúcias, que podem ser muito mais úteis para explicar todo o contexto do que apenas ou especialmente, os filtros de informações que são plantados por terceiros ou que estão em conluio com sua ”cultura neurológica”. Quando olhamos para uma figura, primeiramente temos uma tendência para centralizar nossa visão nela, tal como eu estou fazendo agora, olhando para a tela do computador. Alguém com perspicácia é aquele que encontra uma razão intuitiva e instintiva para ”perder tempo” ao se dedicar na visualização centralizada de uma ”figura”, um conceito, uma história etc… e  encontrar os tópicos fundamentais, que na maioria das vezes serão as minúcias, os detalhes. As pessoas comuns, tendem primeiro a serem artificialmente motivadas para se dedicarem a este tipo de atividade não-procriativa ou que não se relaciona com nenhuma finalidade derivada da persona mamífera que nos mantém presos ao corpo de animais irreflexivos. Segundo, mesmo ao se verem forçadas ao intelectualismo, as pessoas comuns necessitarão de ”filtros de informações”. Por exemplo, quando você estuda psicologia na universidade, vários ”deuses” da psiquiatria serão alçados para que você os estude, filtro de informações. Para entender como funciona a mente humana, ao menos exteriormente, basta observar e ser bom em encontrar correlações causativas, simples assim. A maioria das pessoas não são capazes de fazer isso por conta própria, por isso que existe a super estrutura da educação.

O mantenedor técnico, que na maior parte das vezes será alguém com retardamento mental em erudição, intelectualismo ou pensamento holístico, iniciará o aprendizado tal como uma criança que brinca com quebra-cabeças. Primeiro, apreende-se os detalhes para que depois se complete o conhecimento, construindo assim uma imagem holística. Os detalhes são os pedaços do conceito. Constrói-se um conceito não-conhecido da mesma maneira com que se completa quebra-cabeças, para as mentes comuns.

O solucionador de problemas, um dos dois conceitos filosófico-cognitivos que eu detalhei algumas vezes neste blog, o outro é justamente a do mantenedor, faz o caminho contrário para a captura do conhecimento, onde primeiro entende-se a imagem maior para que depois se busquem os detalhes. Em outras palavras, ele entende o conceito sem a necessidade de ser educado. É como se em uma meia maratona, um dos corredores aparecesse no meio da corrida para fazer a prova. Isso é uma vantagem imensa, mas é sumariamente desprezada tanto pelos mantenedores quanto por seus mestres psicopáticos, especialmente porque enquanto que para os primeiros, isso se constituirá em alguma forma de ofensa aos seus egos, para os segundos, será como o desarme de todas as estruturas arcaicas que montaram visando a domesticação da espécie humana.

 

A mente pragmática e a mente prática

 

A praticidade se relaciona com o bem estar holístico enquanto que o pragmatismo se relaciona com o bem estar não-holístico. É inteligente se alimentar de carne de cachorro se é um animal domesticado, com uma carne gostosa e saudável e se não oferecerá nenhuma grande resistência ao próprio abate. Mas é prático evitar o consumo de carne de cachorro, se isto  torna a consciência pesada e se o cachorro também merece tratamento digno, além da alegria de dedicarmos frações de nossas vidas com estas criaturas belas e amorosas. Mesmo se não tiver ”sentimentalismo”, ainda se pode inferir sobre as vantagens de se ter uma matilha, seja para caçar outros animais ou para movimentar trenós.

É prático usar uma sandália, mas é pragmático usar salto para ficar atraente para o sexo oposto, vejam como muitas mulheres pensam. O pragmatismo é um excesso de praticidade que também pode ser compreendido como uma forma muito característica de frieza emocional E cognitiva. Em outras palavras, é uma preguiça mental. 

No entanto, as diferenças entre ser pragmático e ser prático não param por aí, talvez todo o pragmático seja uma pessoa prática, mas nem todo prático será uma pessoa pragmática. 

A mente prática é aquela que exibe diversas características atreladas ao pensamento holístico, de ver a imagem maior. 

A mente pragmática não vê a imagem maior, porque se consiste em uma pobreza de qualidades da praticidade. Se os pragmáticos asiáticos fossem práticos, eles não teriam transformado o cachorro em carne de açougue.

A praticidade não se relaciona com, escolher a melhor resposta, porque muitas vezes, a melhor resposta, vejam vocês, não será a melhor resposta. Parece bem complicado mas não é e novamente adentramos ao mundo das múltiplas perspectivas. Como eu já havia demonstrado, quando visualizamos uma ideia, um conceito ou uma figura, para que possamos entender o verdadeiro funcionamento e de fato aprendermos, nós temos de olhar DE TODAS AS PERSPECTIVAS QUE FOREM ENCONTRADAS. É um pensamento multidimensional, onde existem múltiplas perspectivas que estão afirmando partes da verdade. É a manipulação espacial de um conceito verbal, transformando-o em um sistema real tal como um figura ou mesmo um objeto. Todo objeto tem nuances variadas, centro ou núcleo, hierarquia que sustenta sua harmonia morfológica, etc, se for apenas um objeto inanimado. A ideia é como uma célula. Nossas ideias são externalizações de nossas sensações e observações mentais. 

Eu já mostrei também que existem dois tipos de verdade, a objetiva e a subjetiva. A verdade objetiva pode ser encontrada ao seu redor, no seu quarto, no seu escritório, na escola, na rua, é aquilo que vê, é sua interação direta com o meio, como um observador, neste caso, que pode ser pragmático. 

É inteligente e pragmático enxugar ou substituir uma grande quantidade de atividades complexas por atividades simples. Ao invés de criarmos vacas no pasto, vamos criar cachorros, que são menores, tem mais filhos e são mais fáceis de serem transportados. Mas os psicopatas pensam de maneira igual. Pra eles, o pragmatismo é seu modo de vida mais elementar. 

É prático compreender a função multifacetada do cachorro em nossas vidas, buscar pelo bem-estar geral. Nem sempre, a melhor resposta será a melhor resposta.

Isto se aplica para tudo em nossas vidas e em nossas construções. O pragmatismo é uma resposta simples e instintiva, a praticidade é uma resposta mais complexa e reflexiva ainda que, baseada ou predominantemente centralizada em mecanismo instintivo. 

A mente prática é aquela que buscará os conceitos primeiramente, para depois dedicar-se aos detalhes. A mente pragmática é aquela que encontra com facilidade os conceitos, por meio da busca de detalhes primeiramente. É importante frisar esta diferença mas também explicá-la. A educação resulta em ”conhecimento” (quase sempre manipulado) para mentes comuns. A busca pelos conceitos e portanto pela fonte das ideias, pensamentos, ideologias, situações… se dá por livre iniciativa de mentes geneticamente predispostas para que depois se busquem os detalhes. Engana-se quem pensa que não é possível haver detalhes em conceitos ou em ”ideias-fonte”, é sim e a maioria das minúcias mais importantes, geralmente estão localizadas justamente aí.

Se uma ideia está errada em sua fonte, então não há necessidade de estudá-la. No entanto, pode-se encontrar, por meio de outras perspectivas, alguma verdade mesmo em ideias primordialmente erradas. Portanto, nada está 100% errado ou certo. Algumas vezes, eu acredito que se poderá construir ideias corretas de fragmentos de ideias (predominantemente) erradas.

 

A praticidade seleciona os tópicos a serem trabalhados, ANTES MESMO de manipular as ideias. O pragmatismo atrela-se aos mantenedores técnicos, ou seja, aos seres humanos com capacidade técnica-utilitária. Os mantenedores aderem com facilidade à ideias, mesmo que elas estejam predominantemente erradas e pouco funcionais, ainda em sua fonte. Para compreender que estas ideias estão erradas, o mantenedor deveria estar apto para capturar a imagem maior, antes de trabalhar os detalhes, mas eles apenas fazem isso, trabalham detalhes e ”desprezam” o conceito. As células do corpo trabalham de maneira inconsciente para sustentar o corpo, o organismo, enquanto que aquele que consegue ver a inconsciência da célula, poderia ser considerado  quase que como um Deus ou ao menos como uma entidade poderosa capaz de ver a si mesmo, fora do corpo. 

Os solucionadores de problemas estão quase sempre focados em conceitos, nas ideias-fonte, do que nos detalhes, porque eles compreendem que, se algo está errado na fonte, então uma cadeia de erros se sucederão durante toda a periferia da ideia.

Os reitores de faculdade podem ter altos qis, mas eles muitas vezes são incapazes de compreender uma série de erros que se multiplicam nas instituições em que estão a comandar. Este é um, em milhões de exemplos exatamente iguais, onde temos os mantenedores, completamente inconscientes daquilo que sustentam. E mesmo quando são pressionados, eles tenderão à hostilidade contra aqueles que estão forçando a situação. O pragmatismo pode ter um papel quando o hipotético reitor entende que a cartilha de leis que está seguindo são equivocadas, visto que, apesar da cadeia de injustiças objetivas, ele ponderará em relação ao bem-estar de seus familiares e portanto, se constituirá em um bem-estar não-holístico.

 

 

 

 

Anúncios

About santoculto

Email ataudecinzento@gmail.com

6 responses to “Mente prática versus mente pragmática”

  1. Davi says :

    Nossa… Você tem uma facilidade enorme em desenvolver textos de alto nível, e em curto espaço de tempo. Acho que você tem “super poderes”…
    Bem… Me considero um solucionar do de problemas, depois que li este texto sim. 😄 pois me enquadro nessas características. Também sou prático, intuitivo e criativo. O que mais gosto é de criar e aprender algo que eu possa literalmente por em prática de modo que eu me sinta de certa forma mais criativamente satisfeito… Mas acho que eu sou tanto confuso. Pensarei mais sobre isso.

    • santoculto says :

      Se está confuso é um bom sinal. Da confusão que se constrói caminhos.

      Sim, o solucionador de problemas é uma pessoa de mente prática. Você guarda uma boa quantidade de informações práticas**

      Eu não sei se acontece com vc, mas pra mim pode-se exemplificar da seguinte maneira

      ”não saio de casa sem ter uma motivação clara e objetiva”

      Se isso tb acontecem com vc, então é um mais um sinal de que sua auto avaliação encontra-se correta.

      Obrigado pelo elogio, bem, é mais uma dica. Se tem uma boa ideia, acredite nela, copie em algum lugar e a desenvolva o mais depressa possível, mas de preferência, não seja muito afoito. Eu acabei saindo um pouco daquilo que me predispus a produzir neste texto, o assunto que tinha mente, mas acabou que não ficou tão ruim.

  2. Davi says :

    Nossa… Você tem uma facilidade em desenvolver textos de alto nível, e em um curto espaço de tempo. Acho que você tem super poderes…
    Bem… Eu me considero um solucionador de problemas, percebi que minhas características se enquadra nesse estado mental(pode se dizer assim?), mas também sou criativo, prático e intuitivo. Gosto muito de criar e aprender coisas que eu possa literalmente resolver que tenha uma sensação que foi criado… Vou aprofundar mais nesse aspecto de minha mente e ver outros posts.

    • santoculto says :

      Se vc compactua com ao menos 70% dos pressupostos deste blog, então é muito provável que seja um solucionador de problemas, uma pessoa com mente prática, holística porém analítica.

      Eu não vendo ideologia, eu mostro a realidade. Só se pode criar com sustentabilidade quando tem os pés no chão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

De:RefémdoDrDeus Para:Deprimente mundo Assunto:Denúncia de maus-tratos a pensadores

...e Deus criou a Ângela,desapontado com a nossa Eva.Apresento-vos o meu "disco rígido" ...

renanbarreto88

Just another WordPress.com site

Castro456's Blog

O medo do nada

Delusions of Adequacy

And You Thought You Might Have Had Delusions of Grandeur

PARTO DE IDÉIAS

"Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância." Sócrates.

Pshelinha

Um pouco de mim..

Pensar Novo

"Saber que você precisa mudar não é suficiente. Você precisa ter a coragem de fazer esta mudança." Robert Kyosaki

Mind Hacks

Neuroscience and psychology news and views.

Inside Perspectives

of Asperger Syndrome and the Neurodiversity Spectrum

Agoraphobia Subliminal Hypnosis

Come out of the woods, the dark, come into the light. As a recovered agoraphobic, I've designed these audios over many years in order to help you. Charles K. Bunch, Ph.D.

Antimidia

Textos sem sentido, para leituras sem atenção, direcionados às pessoas sem nada para fazer.

%d blogueiros gostam disto: