Lactobacilos para combater a genialidade

Imagine que você está sob um experimento sociológico promovido por sua universidade. Todos os estudantes serão treinados para olhar pra você de uma maneira diferente, eles  serão treinados para agir de uma forma negativa, fria, distante para você, obviamente demonstrando-lhe isso. Também colocariam vários cartazes pelo campus do seu curso, de psicologia ou sociologia, com dizeres do tipo ” -VOCÊ- é anormal”, ”Sintomas da -síndrome de Você-”. Tudo isso seria feito de uma maneira para que você internalizasse essas informações e passasse a se aceitar como um ”sub-humano”, um ser inferior, com um defeito indesejável.Eles fariam coisas que te irritam, por exemplo, se você odeia que assobiem então eles o fariam perto de você. O mais importante, eles evitariam fazer amizade com você. Você foi selecionado porque é uma pessoa com baixo neuroticismo. Você leva a vida de maneira mansa, relaxada, nada te afeta, supostamente.

Por quanto tempo você sobreviveria a este massacre mental??? Será que depois deste experimento nós o veríamos mais ansioso, mais nervoso, paranoico, se sentindo inferior, que não se encaixa na sociedade, suas tendências depressivas, que antes eram praticamente inexistentes, aflorariam???

Pois então, esta realidade pode não ser a sua, mas é a realidade para TODAS as minorias, os outliers, que não se encaixam nos moldes das sociedades em que vivem. O ser humano evoluiu para conviver uns com os outros, mas quando a maioria te acha indesejável, então haverá uma tendência pare que passe a buscar a aceitação, mais do que qualquer outro.

Pense no efeito das drogas. Na primeira vez, você se contenta com as doses mais baixas. Mas depois, você se vicia ao ponto de querer mais e mais, as doses mais altas.

Aquele que é rejeitado socialmente, vai passar pelo mesmo processo, visto que vai buscar doses cada vez mais altas de aceitação, que como no caso das drogas, não acontecerão ou terão um efeito muito fraco, rápido e isso vai aumentar a ansiedade e tendências depressivas.

O movimento HBD quer normalizar a ideia do DETERMINISMO BIOLÓGICO, sem antes testar se, as circunstâncias dinâmicas de socialização tem um efeito considerável na vida das pessoas, para o bem ou para o mal.

Eles são os eugenistas entusiastas que só conseguem ver problemas nas personalidades extremas. São as pessoas que choram a falta de gênios na modernidade sem levar em conta UMA SÉRIE DE FATORES AMBIENTAIS, SIM, EU DISSE AMBIENTAIS, PROVOCADOS PELO HOMEM E QUE AFETA OUTROS HOMENS, que possam contribuir para explicar o porquê da escassez de gênios modernos. São aqueles de ego descomunal que precisam validar o determinismo do qi, para validar a si mesmos como ”protótipos de gênios”, que não são. São os termites que acham que são gênios e existem muitos que gostam de esfregar os seus resultados de qi na cara das pessoas, como se isso fosse alguma prova conclusiva sobre qualquer coisa relacionada ao intelecto pessoal.

Psiquiatria

Nos tempos dos gênios do passado, não existia a psiquiatria. É interessante observar que o aparecimento do movimento psiquiátrico se deu justamente na época em que a genialidade humana começou a escassear no mundo ocidental.

O movimento psiquiátrico tem um intenção muito clara, PATOLOGIZAR A DIFERENÇA e excluí-la da sociedade. Ele tem outras intenções, como por exemplo, de ostracizar aqueles que poderiam revolucionar a sociedade e lutar contra o mundo que estão a planejar.

Agora está claro pra mim. O suposto ”socialismo”, nada mais é do que um projeto para extinguir a humanidade como a conhecemos. Como resultado, estamos assistindo à ostracização dos futuros inovadores sociais, políticos e culturais da sociedade, porque não tenha dúvidas, eles irão lutar com unhas e dentes contra este projeto diabólico. Não me surpreende que o movimento psiquiátrico tenha sido inventado por indivíduos de um certo povo…

Doença como um portal para autoconsciência

As pessoas que apresentam personalidades extremas tem um potencial valioso que está quase virtualmente ausente no resto da população humana, o potencial para a autoconsciência. Quando você se conhece, conhece o ambiente do qual seus pés estão fincados e se transforma em uma espécie de identificador preciso de todas as cadeias de conflitos evitáveis bem como as suas respectivas raízes.

A doença mental bem como qualquer outra doença, perturba o andamento natural do indivíduo, fazendo-o refletir muito mais profundamente do que não se tivesse nenhum desvio. Quando esta condição é combinada com grande inteligência e caráter, então nós vemos o gênio em ação. A doença desliga as nossas transcendências de natureza animal, fins justificam os meios, meios para a reprodução e a conquista de status dentro de nossas sociedades sofisticadas de fachada, que no fundo, mantém o estilo de vida que vemos em primatas.

Isso é péssimo para os mattoides, os gênios e derivados com grande deficiência de caráter. Eles não querem que as pessoas se conheçam, porque isso seria uma espécie de suicídio de suas estratégias, saber mais das pessoas do que elas mesmas poderiam saber.

A psiquiatria corresponde a uma dessas estratégias. Quando vemos ”experts” da mente diagnosticando o paciente, ele está claramente dizendo

Eu sei mais de você, do que você sabe de si mesmo.

Está correto???

Não, ninguém sabe mais de si mesmo do que a própria pessoa. Ninguém sabe mais profundamente e intimamente a si mesmo, muito menos um psiquiatra…

Mal adaptação

Se os autistas, por exemplo, vivessem em ambientes com menor estímulo sensorial, menos inundação de informações não-verbais, eles teriam uma melhor qualidade de vida. Mas, não há algo mais frustrante para alguém que é realmente inteligente, do que o seu sub-aproveitamento na sociedade. Quem nasceu para escalar montanhas não vai se contentar com pequenas ondulações do solo e se não puder fazê-lo, vai sofrer.

Se você não pode fazer aquilo que nasceu pra fazer, então se considerará como um ser inútil… depressão e ansiedade serão as suas novas amigas.

Ninguém nasce depressivo, ninguém nasce ansioso. É a maneira como o sistema nervoso é viciado. Nossa vida, nosso respirar, está salpicado de vícios. Somos todos metódicos e viciados com a rotina. Mesmo aqueles que quebram a rotina, na verdade, continuam mantendo os seus estilos de vida anormativos, isso não é quebrar rotina, é ter um rotina diferente, ainda assim, será uma rotina apenas…

Iorgute para te fazer normal e socialmente aceito

Eu me recuso a aceitar que as pessoas normais são melhores que as pessoas anormais ou incomuns. As pessoas normais são mais saudáveis que as anormais, geralmente, mas isso não é uma maneira HUMANA de ver o mundo. Esta é a visão inconsciente, como um animal sempre faz.

A doença e sua manutenção na humanidade foi a responsável por nos fazer humanos. Devemos às pessoas que carregam estas condições sindrômicas, algumas delas, de grande sofrer, tudo o que somos hoje. Nosso orgulho de ser humano deriva das doenças.

A normalidade é saúde e quando se é perfeito, se abandona o pensamento crítico e se abandona a criatividade.

A normalidade é uma questão de relatividade. Vamos imaginar duas situações completamente opostas. Na primeira, um grupo de pessoas estão sentadas, inertes, enquanto uma minoria delas estão se mexendo e pulando. Imediatamente que consideraríamos a minoria saltitante como doente e a maioria como saudável.

Agora vamos supor que a maioria está pulando e se mexendo, tal como se tivesse tendo um ataque epilético e uma minoria estivesse sentada, inerte… Neste caso, mudaríamos de opinião (mudaríamos não, eu não mudaria, mas enfim, é ”só um exemplo”) e reconheceríamos a maioria que está pulando e se mexendo como normal e a minoria que está quieta como anormal, como doente.

Neurociência é a metástase da psiquiatria

A neurociência descobriu que alguns ratos de laboratório mediante algumas intervenções ambientais e orgânicas podem ser suscetíveis de desenvolverem características comportamentais relacionadas ao autismo.

A partir disso infere-se unilateralmente que o autismo é um transtorno mental, que precisa ser curado. Claro, por que não…

…vamos curar crianças e adultos com extremo talento, que gostam de estudar por conta própria, que são apaixonados por seus ”interesses restritos” (OBS.: como se as pessoas ”normais” tivessem um leque de interesses extremamente diversificados E interessantes, mas não, os interesses pessoais dos normais, você encontra em um formigueiro) e que podem revolucionar o mundo se estiverem no lugar certo.

O evangelho da ”normalidade” precisa ditar as regras do que é normal. Quase todas as características dos autistas trabalha de uma maneira para que a paixão (e não obsessão) intelectual floresçam e suas mentes do que em grande parte do gado.

Antes de ACEITARMOS que as pessoas ”normais” não são melhores que as outras, antes de botarmos o dedo em nossas feridas e aceitarmos que boa parte da humanidade é frívola, inconsciente e predisposta a atos corruptos e egoístas, antes de entendermos o que realmente É a empatia, antes de ponderarmos se a eliminação dos genes autistas, esquizofrenicos… poderão acabar com a criatividade e a genialidade humana…

Vamos criar um iogurte para fazer as pessoas anormais, normais. Vamos curar suas doenças e fazê-los humanos normais, leia-se, bons. O bárbaro de ontem é o outlier de hoje.

Eles não falam nossas línguas neurológicas.

Voltando ao hipotético experimento sociológico que sugeri acima. Será que você continuaria a se sentir inabalavelmente seguro de si, acaso todas as pessoas ao seu redor te fizessem se sentir anormal e patológico???

Será que a impressão de inutilidade doença que as pessoas tem sobre você aumentariam acaso fosse ostracizado porque o seu cérebro é radicalmente diferente dos cérebros dos neurologicamente comuns. Você não é educado, você não é estimulado a aprender, você não estuda visando status e procriação, você faz tudo o que faz, porque é tudo o que você é…

Não é a toa que os mutantes, com personalidades extremas, tenham elevadas incidências de depressão, ansiedade e suicídio. Somente porque são biologicamente determinados a se tornarem assim?? É tão simples assim???

Claro que não.

 

Finalizando, vamos ver um pouco o que estaremos perdendo se atropelarmos a ordem natural de investigações científicas SÉRIAS e decidirmos ”normalizar” os autistas (da mesma maneira que cortamos o talento criativo dos bipolares quando os forçamos a se automedicar)

 

Aspies têm geralmente normal a alto QI e muitos são dotados de uma ou mais áreas.

interesses especiais

Interesses especiais é uma das características mais comuns de uma Aspie. Alguns alternam entre interesses favoritos, outros manter o mesmo até que sintam que aprenderam ou feito tudo o que queria nessa área. Nem todo Aspie tem interesses especiais, dons ou talentos, mas um grande muitos fazem. Muitos com TDAH fazer também.

“Mitologias e Mesopotâmia são os meus interesses especiais. Línguas também são interessantes, tem além do Inglês e Alemão também estudou espanhol, francês e turco. Turco é uma língua maravilhosa para aqueles que estão interessados ​​em lingüística! ”

– ‘Pazuzu93’, Aspie feminino da Suécia

“Meus interesses variar. New geralmente substituir os antigos. Agora é o autismo, física (física atômica, óptica e física geral) e costurar / tricotar. Antigamente eu gostava de biologia, matemática, óptica, eletrônica, programação, vários jogos de computador. Eu também desenhar um monte. ”

– Matilda, Aspie da Suécia

“7-13 anos de idade:
* Classificação, sistematização e organização: mãe nunca tinha me dizer para limpar o meu quarto; Fiquei próprio pequeno überführer do viveiro.
* Livros, livros, livros … ler ler ler ler ler ler ler …
* Math …..
* Colecionador de selos de proporções fantásticas.
* Geometria e padrões; encontrar, memorizar e visualizar internamente e brincar com padrões que descobertas em torno de mim mesmo …. ainda o fazem; embora não tão intensamente como quando eu era criança.

“13-34 anos de idade:
* Programação Web; matemática e um pouco disto e que tem furtivamente dentro
* Xadrez: descobri que quando eu tinha 13 anos; fui fascinado por ela desde então; definitivamente meu maior interesse hoje. ”

– ‘Doom’, do sexo masculino Aspie da Suécia

perseverança

Muitos Aspies ter perseverança extraordinária e são capazes de hiper-foco atentamente sobre a mesma coisa por horas, dias, às vezes semanas a fio, e manter-se um interesse especial por anos.

“Eu sou bom em virar para dentro e se concentrar 100% em uma tarefa. Eu sou tenaz e perseverante. ”

– Christoffer C, Aspie da Suécia

“Eu gostava de grandes projetos e divertido quando eu era criança, ele me levou 12 anos para fazer a 2,5 metros por 36 metros mural usando lápis colorido. Eu fiz um segmento de um ano por 12 anos. Era de um túnel da mina. Você podia ver carros de carvão nele, túneis transversais, fósseis nas paredes. Eu comecei quando tinha 12 anos “.

– Tom, Aspie dos EUA

LOGIC

Nem todo Aspie se encaixa no estereótipo über-lógico, mas aqueles que têm um sentido muito astuto, original e, por vezes, bem-humorado da lógica.

“O copo está meio cheio?

“Esta filosofia tem me incomodado por um longo tempo, alguns dos meus amigos tomar esta questão tão a sério que se torna incômodo, é uma pergunta estúpida, se um copo está meio cheio ou meio vazio e eles dizem que se você acha que é meio-completo, então você é uma pessoa positiva e meio vazio, então você está negativo.

“A minha opinião:

“Se você está preenchendo upp o vidro, então é meio cheio, se você está esvaziando-a, então é meio vazio, se ele só fica lá, então é meio cheio, porque alguém encheu metade de se dar às pessoas algo sem sentido para pensar. ”

– Neko-chan, fêmea Aspie da Suécia

IDIOMAS

Além de uma minoria disléxico, Aspies muitas vezes têm um fascínio com a linguagem e um vocabulário muito mais avançados do que seus pares. Importante para um Aspie é ser capaz de se expressar com o máximo de exatidão e precisão.

“Eu sou muito bom em escrever. Eu sempre gostei. As pessoas costumam cumprimentar-me na minha língua. ”

– ‘Lilla Gumman’, Aspie feminino da Suécia

“Eu tenho um grande vocabulário. Eu sou bom em línguas. Eu sou bom em ortografia, acho que daria um bom revisor. ”

– ‘Alien’, Aspie feminino da Suécia

“Eu li rapidamente e têm um grande vocabulário. Tanto em sueco e Inglês.

– Christoffer C, masculino Aspie da Suécia

“Eu sou muito bom em ortografia. Sempre foram. Eu ouço, quando alguém diz uma palavra, como deve ser escrito. Isso vale para ambos os sueca e outros. É muito fácil para mim aprender línguas. Eu tenho um grande vocabulário e um bom conhecimento a toda a volta das coisas. (Sempre ganhar jogos de quiz, que alguns acham chato.;) As pessoas me chamam de “dicionário vivo. Hmmm … Eu tenho um talento para a escrita e facilmente pensar em histórias inteiras rapidamente na minha cabeça. Facilmente encontrar rimas e sinônimos de palavras. ”

– “Verbena”, Aspie feminino da Suécia

“Eu posso soletrar qualquer palavra no idioma Inglês e depois de ver as palavras, uma vez que eu conheço. Desde criança eu aprendi a fazer de cada carro na estrada e poderia nomeá-lo a partir de 200 metros de distância. ”

– Nick, Aspie dos EUA

“Eu sempre fui melhor em ortografia do que outros. Independentemente se é sueco, Inglês ou Alemão. Às vezes, me divertir tentando descobrir como palavras em francês e frases estão escritas e pronunciadas. Nunca estudou francês, o que torna um desafio. ”

– ‘KrigarSjäl’, do sexo masculino Aspie da Suécia

“Eu acho que falar é, por vezes, um obstáculo, porque as pessoas dizem que eu falo que eu sou um doutorado pernas dissertação. As pessoas me acham difícil de entender por esse motivo. Mas quando eu falo que eu quero a palavra precisa, não é uma palavra que vem perto do significado que eu estou procurando. Assim, meu vocabulário é bastante extenso. Do meu ponto de vista, é irritante para falar com algumas pessoas que não usam dicção precisa, porque seu vocabulário impreciso tende a obscurecer o seu significado e intenção. ”

– Tom, Aspie dos EUA

Para nossa surpresa e consternação, muitos de nós descobrir que entusiasticamente assumindo o papel de auto-nomeado linguagem de polícia em várias situações sociais, raramente se reuniu com a valorização do esperado …

habilidades matemáticas

Enquanto alguns têm dificuldade com a matemática, outros são extra qualificado. Alguns têm muito boa memória para números.

“Meus talentos são números soletrada. Eu posso fazer os cálculos de cabeça com muita facilidade, já desde a mais tenra idade foi capaz de multiplicar números de dois dígitos, algo que a maioria das pessoas não pode fazer, infelizmente, existem computadores e calculadoras que podem fazê-lo ainda melhor para que um não tem muito uso para isso: (também pode expressar-se em lembrar facilmente aniversários, não importa o quão bem eu sei que a pessoa, muitas vezes é o suficiente para ter visto a data de nascimento de uma vez eu vou lembrar-lo sem esforço, ainda me lembro a maioria dos aniversários dos colegas de classe de juniores alta e alta escola, embora eu não tenho nenhum contato com qualquer uma destas pessoas agora (25 anos hoje). ”

– D.A., Aspie da Suécia

“Eu sou um daqueles geeks que quer cálculos matemáticos longo intrincados com apenas um punhado de letras gregas. Leia matemática na universidade e que me convém. Equações diferenciais são divertidas de se cavar uma de dentes.

– ‘Kaks’, Aspie feminino da Suécia

“Houve um caso de me tentando calcular algo na mesa da sala de jantar durante uma discussão (e eu multiplicado três dígitos por três dígitos) e, em seguida, a máquina de somar provou meus números correto depois do jantar. Mamãe estava atordoado, porque esta foi a primeira vez (nos 37 anos da minha existência) que ela já tinha me visto fazer algo assim, mesmo que eu sabia que tinha a habilidade de idades. ”

– Tom, Aspie dos EUA

“Eu sempre tive a matemática como um interesse especial por tanto tempo quanto me lembro, e eu fiz 5 na final de uma competição de matemática sueco para alunos do último ano do ensino médio em 1979.”

– Esteiras, Aspie da Suécia

Reconhecimento de Padrões

“Quando eu era mais jovem eu gostava de olhar para as existências em jornal – eu seria capaz de prever quais ações faria bem – olhando para trás, foi tudo sobre detectar padrões, mas mais uma vez eu também gosto de ler os obituários – sim, eu era considerado um criança estranho. ”

– Julie, Aspie da Inglaterra

“Eu aprendi a ler as páginas de ações, quando eu estava no terceiro ano ou assim. Isso aconteceu num sábado, quando eu estava cansado de ver desenhos animados e encontrei um programa mercado de ações. Eles explicaram que é muito clara e os gráficos são muito lógico de qualquer maneira. De vez em quando eu assisti o show novamente e aprendi muito. Engraçado, porém, os adultos foram mais rápidos a tirar sarro de mim do que para ouvir os conselhos de ações. Muito ruim sobre isso, porque alguns deles realmente acabou bem, a Microsoft é um deles. Imagine comprar de volta no início dos anos 1980. ”

– William, adulto Aspie dos EUA

“Claro, nós somos bons enervante em detalhes. Por exemplo a perceber que algo está errado. Meu irmão está reformando uma casa e eu o ajudou quando eu descobrir falhas do meu ponto de vista. Eu acho que é a nossa necessidade de estrutura / simetria que nos ajuda a identificar desvios e indiretamente afetam nossas mentes.

“Eu estou preso em um interesse cavalo / corrida. Gosto de analisar uma corrida com antecedência. Para ser capaz de prever os eventos. Se você tiver calculado corretamente, você fica em êxtase. Pode ser que seja mais rápida no início, por exemplo. Este é um dos meus interesses especiais. Lê-se vencedora estatísticas, criação e pedigrees. Que cavalos funcionam melhor em quais posições etc tem armazenado na memória que este cavalo estava em melhores condições no ano passado, ao mesmo tempo. Eu não acho que é uma coincidência que eu ganhei cinco dígitos somas 4 vezes durante um período de 3 semanas. Eu estava perfeitamente claro que os cavalos tinham a maior chance de vencer. Eu já fui chamado de ‘O Professor Racing’ no trabalho por causa do meu conhecimento. Às vezes vale a pena. ”

– ‘Dumle’, do sexo masculino Aspie da Suécia

“Eu pareço ter na capacidade inata de combinar estatística e probabilidade com a intuição. E se parece que alguém está tomando uma ação que vai levá-los em uma determinada direção, então eu posso identificá-lo imediatamente com base nos dados que eu já testemunhei, acumulada e armazenada em minha mente. Há muitos exemplos da minha ‘prever’ (extrapolando) que as coisas vão acontecer e, em seguida, vê-los em realidade. ”

– Tom, Aspie dos EUA

“Eu sou bom em detectar padrões em imagens e padrões de texto, etc que existem, pode-se acrescentar.”

– ‘Peter’, adulto com AS-e ADHD-traços da Suécia

Inventividade e Criatividade

Algumas pessoas AS / HSP / TDAH é criativo, visionário e criativo.

“Eu sou muito bom em resolver problemas práticos e muitas vezes a minha solução é um pouco diferente. Eu também facilmente pensar em outras funções para as coisas do que o que eles foram inicialmente criadas para “.

– “Verbena”, Aspie feminino da Suécia

“Quando eu tinha uns 5, eu pensei que se um dispositivo que teria sido quase idêntico ao TiVo – a coisa que grava programas de tv e tira as comercials. No entanto, sendo 5, eu nunca mencionei a ninguém, e se esqueceram dele por um tempo, até que alguém mais teve a mesma idéia. ”

– Laura, Aspie

Eu tenho sido sempre cheio de idéias sobre soluções práticas de como melhorar e simplificar as coisas, desenhos ou invenções que eu gostaria de ver, etc Muitos deles tornaram-se realizado por outros alguns anos ou décadas mais tarde.

Desde criança eu sonhava em ser um inventor e imaginou um chapéu de helicóptero para fazer você voar, e um barco que poderia cortar canas debaixo d’água. Aos 25 anos eu pensei em um caso de make-up em que você poderia ficar qualquer combinação de cores que você quer e reabastecer quando a sua cor favorita se esgote. Apenas um ano mais tarde, Kanebo e ArtDeco fez quase exatamente como eu tinha imaginado. Uma escova de dentes com cabeça da escova substituível foi outra idéia que eu tinha na década de 80, que agora existe. Computadores agora funcionar como eu sonhava naquela época, e os carros finalmente olhar como eles “deveriam” (embora eles ainda correm na terra, e com gasolina .. * suspiro *).

Infelizmente, eu raramente encontrá-lo vale a pena para tentar fazer qualquer coisa das idéias que recebo. Tudo o que tenho a fazer é esperar e outra pessoa, mais cedo ou mais tarde, fazê-lo em vez …

– Ing, site de autor

OUTROS TALENTOS

“Eu sou bom em programação. Eu sou geralmente boa na maioria das coisas para fazer com os computadores. Eu tenho boa memória processual (coisas que você pode fazer, mas pode ter dificuldade em explicar), a memória semântica (memória para fatos) e “memória de som.” Eu sou bom raciocínio lógico att. Eu sou bom em vários jogos de computador (nada para se gabar talvez).

– Christoffer C, masculino Aspie da Suécia

“Eu sou bom em analisar sistematicamente vários assuntos interessantes que acontecem para tornar-se espontaneamente interessado em Ai eu sou ruim em manter o interesse e de facto a fazer algo daqueles análise. Os assuntos que eu sou melhor no aprendizado e análise estão em filosofia e psicologia. Talvez seja principalmente porque eu estou interessado neles, mas faz parte do interesse é que eu sou realmente bom para eles. ”

– ‘Peter’, adulto com AS-e ADHD-traços da Suécia

“Eu sou bom em otimizar e tornar as coisas mais eficiente. Quase sempre encontrar a maneira mais fácil de fazer as coisas, sim … quando é algo que me interessa.

“Eu sou um gênio em tricô e crochê. I pode tricotar um boné em uma noite. A camisola pode demorar um dia. Então eu posso ter que apressar um pouco. 😀

“Eu escrevi a metade de um exame casa de cinco pontos para o meu ex – e saiu para passar! Eu nunca estudei economia. . Ever “<snip longa lista de outros talentos; linguística, matemática, etc técnico>

– ‘Weasley’, Aspie feminino da Suécia

“Eu tenho boa memória de imagem, sou bom em revisão de informações, bom para a construção de computadores, bom em Inglês, fotografia, culinária, a programação CNC, desenho em AutoCad, o custo-cálculo para móveis, o que representa, a formação de meu cão, muito bom em escrever tudo os tipos de literatura, a pintura da água-cor, composição, muito bom em fazer discursos, alteração do relógio-pilhas e mais simples relógio-reparos, eu canto bem, tem imaginação muito rico e amplo conhecimento de todos os tipos de religiões “.

– Tonzon, masculino Aspie carpinteiro, escritor, artista, compositor e programador da Suécia

 

Fonte http://insideperspectives.wordpress.com/as-traits/talents/

 

 

Anúncios

About santoculto

Email ataudecinzento@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

De:RefémdoDrDeus Para:Deprimente mundo Assunto:Denúncia de maus-tratos a pensadores

...e Deus criou a Ângela,desapontado com a nossa Eva.Apresento-vos o meu "disco rígido" ...

renanbarreto88

Just another WordPress.com site

Castro456's Blog

O medo do nada

Delusions of Adequacy

And You Thought You Might Have Had Delusions of Grandeur

PARTO DE IDÉIAS

"Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância." Sócrates.

Pshelinha

Um pouco de mim..

Pensar Novo

"Saber que você precisa mudar não é suficiente. Você precisa ter a coragem de fazer esta mudança." Robert Kyosaki

Mind Hacks

Neuroscience and psychology news and views.

Inside Perspectives

of Asperger Syndrome and the Neurodiversity Spectrum

Agoraphobia Subliminal Hypnosis

Come out of the woods, the dark, come into the light. As a recovered agoraphobic, I've designed these audios over many years in order to help you. Charles K. Bunch, Ph.D.

Antimidia

Textos sem sentido, para leituras sem atenção, direcionados às pessoas sem nada para fazer.

%d blogueiros gostam disto: